O Poema do Pouco

Não preciso de muita coisa

Na verdade, só preciso de pouco

Do céu azul

Do puro ar

A encher meus pulmões de razões pra viver

E para acreditar

Que realmente não preciso de muito

Nem de luxo

Nem de dinheiro

Apenas de uma mão amiga a segurar meu cabelo

Se eu passar mal no banheiro

Apesar de não precisar de tanto

Não há nada que eu queira pouco

Quero o vento,

A chuva,

A chama

Quero alguém para ouvir meu suspiro

Quando disser que me ama

E do pouco que quero muito

Destaco o sonho do viver pra sempre

As noites intermináveis de agosto

E um saudoso cenário bonito

Na verdade o que eu quero é um pouco

De tudo o que é infinito

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Laís Menini’s story.