Não tenha escolha. Sabote tudo.

Permaneça neste emprego mesmo que insatisfeito; não saia deste relacionamento, ainda que você esteja infeliz nele. Contraia dívidas, perca muito dinheiro. Brigue com as pessoas. Culpe o mundo. Todas aqueles sacanas que nunca te ajudam. Só pode ser isso! Na verdade é tudo isso. É tudo culpa de todos. Afinal, somos todos vítimas de um sistema injusto.

É a crise.

Encontre todas as desculpas do mundo, mas, por favor, não olhe pra si. Não encontre em você as causas de tudo pelo que vem passando. Ou de tudo pelo que já passou. Não tenha escolha.

Também não questione. Não ouse sair dos padrões. Chamar pra si a responsa da desgraça que paira sobre a sua vida? Imagina! Isso é inconcebível.

Sem chance.

Não aja diferente. Continue com todos os seus véus, com todas as suas interpretações, com todas as suas verdades absolutas e incontestáveis. Não encontre uma saída alternativa e criativa. Não procure em você as causas de todos os males. Você vai ter que olhar pra coisas de que talvez não goste. Vai ter que admitir coisas que talvez não queira. E, deixa só te falar uma coisa… Caso isso aconteça, vai encontrar a LUZ! Não faça isso. É perigoso.

Ela pode te cegar.

E te abrir pra um mundo novo. Desconhecido. É muito arriscado! E se neste mundo eu me sentir feliz demais? Se não tiver mais a quem culpar e eu me sentir tão leve que pudesse até quem sabe… flutuar? E se eu começar a conhecer as pessoas mais incríveis, de quem seria a culpa? E se um estado de plenitude e abundância tomarem conta do meu ser e eu não conseguir mais culpar ninguém, nem mesmo a crise?

Como seria?

Talvez ele não seja perfeito. Talvez neste novo mundo coisas até ainda mais inesperadas e surpreendentes te aconteçam, mas tudo vai depender das suas escolhas. Ou do olhar que você coloca sobre o que te acontece. Que olhar você colocou sobre este texto?

Que escolha você quer ter? Ou melhor, você deseja ter escolha?