Burgernight: O segundo round na unidade Renascença!

Sempre achei que eu tinha comido errado no Burgernight.

Todo mundo me falava tão bem, o melhor hambúrguer do mundo, o melhor pão, o melhor blend.

E quando visitei pela primeira vez a loja original, na Fonte do ribeirão, não consegui “chegar lá”.

Ruim? Claro que não. Longe disso.

Mas foi bem complicado ME CONVENCER que este hambúrguer, tão bem falado por muitos dos meus amigos, não estava entre os meus preferidos.

Achei que EU estava errado.

E aí, devido a uma parceria com o Garage Pizza Burguer, o Burgernight brotou no Renascença, muito perto do meu trabalho.

A chance perfeita para rolar essa segunda visita e, inclusive, fazer um novo vídeo.

Burgernight

O Burgernight se torna nesse momento, o primeiro estabelecimento de São Luís a aparecer duas vezes distintas no Lanche Barato. Com post completo, vídeo and all that jazz.

E valeu a pena? Consegui “comer certo”? Conto tudo aqui embaixo…

A primeira coisa sempre é falar do ambiente.

O Burgernight renascença hoje divide espaço com o Garage, lado a lado e dividindo o mesmo conjunto de mesas de madeira clara em uma área que seria o estacionamento das lojas, salvo engano.

Essa área é delimitada por uma grama artificial bem verdinha,o que foi um ótimo detalhe.

As mesas não tem cobertura, o que não deve ser um problema para o segundo semestre, mas no começo do ano que vem, com as chuvas, deve ficar complicado.

Burgernight renascença. Se chover, fodeu.

Não vou falar sobre o Garage. Não hoje. Ele merece um post próprio. Ainda tenho vontade de provar a pizza e o hambúrguer.

Mas a loja do Burgernight (alguém se incomoda se eu abreviar pra BN daqui pra frente?) emula bastante a nave mãe, na Fonte do Ribeirão.

Paredes pretas, logo da empresa em branco, vários quadros e plaquinhas cool e no fundo algumas churrasqueiras onde são preparados os burgers. Uma chopeira da Dona e um freezer com latinhas de refrigerante acabam por decorar o ambiente.

É uma fórmula que funciona, não tem como negar. E não é ruim não. Fica um ambiente legal.

Las Vegas é cool

O atendimento é bem direto. Você vai ao caixa, faz seu pedido, fornece o pagamento e espera ao lado pelo seu nome ser chamado.

E foi MUITO rápido. 2 ou 3 minutos? Tipo isso. Bem fast food mesmo.

A loja do renascença não estava ainda com todas as opções disponíveis. Perguntei pela batata e não rolou. O blend, se não estou enganado, só o de carne. Talvez tenha ajudado na velocidade.

Ajuda também a produção que estava a todo o vapor.

Acredito que nesse momento o BN já tem dados suficientes e a expertise necessária para já ir colocando a máquina para rodar já esperando um volume X de clientes e sem ficar no prejuízo.

Tem cerveja Dona

Outra coisa que também parece saltar aos olhos é o treinamento dos funcionários. Apesar da lotação — e estava lotado — estavam calmos e concentrados no trabalho.

Certeza que todo mundo aqui já viu algum atendente ou cozinheiro meio desesperado quando a casa lota.

Experiência, cara.

Mas vamos falar sobre o elefante na sala. Será que finalmente fui convencido?

Resposta rápida? Não.

Pedi um blend bovino (160g) que veio com queijo muçarela, bacon e um adicional extra de cheddar com Jack Daniels (de acordo com o Instagram).

R$ 16,00 + R$ 2,00 do adicional.

Repare no pão

The Good: A carne estava saborosa, bem temperada, fiquei com o gostinho na boca por um bom tempo. Mais passada do que eu gostaria, mas ainda assim gostosa.

O bacon, pra mim, estava no ponto ideal. Bem crocante, gostoso de morder.

The Bad: O pão, que sempre é estrela do Burgernight, não estava em seu melhor. Não achei tão macio, fofinho e incrível como da primeira vez. Estava até meio esfarelando. Sabe quando a casquinha do pão massa fina vai soltando? Pois é…

O Cheddar estava frio e, sinceramente, não fez diferença no meu hambúrguer. Acho que era até melhor não ter pedido.

The Ugly: Estava bem cheio e acho que o número de cadeiras é insuficiente para a demanda. É meio chato comer com pessoas escorando seu assento. Tira um pouco da experiência de sentar e conversar com os amigos e com a família.

Burgernight sem cheddar, da esposa

Óbvio que você entende o momento, levanta por educação e sede o assento ao próximo cliente. Mas sempre vou preferir um lugar mais de boa. Sempre.

Quer dizer que o Burgernight é ruim então?

Correndo o risco de me repetir: NÃO!

Mas eu acho que devemos considerar um novo ponto: Nostalgia Alimentar.

De acordo com Vera Cristina Fontes Teixeira Vale em sua tese “A Nostalgia Alimentar no contexto de uma experiência gastronómica”, nossas predileções alimentares são influenciadas por uma infinidade de fatores.

Entre eles: Estímulos ambientais, fatores sociais, seu estado psicossomático…

Cara, até a roupa que você usa na hora de comer e a música do ambiente influenciam na sua percepção do alimento.

(Vou deixar o link do trabalho completo AQUI. Ele é focado na nostalgia alimentar como incentivadora de turismo, mas acho que vale muito a pena dar uma lida)

Talvez, pelo Burgernight ter sido um dos pioneiros do gênero em São Luís, talvez por ter começado como um evento itinerante, com alto grau de escassez, talvez pela sua primeira loja física ser na Fonte do Ribeirão, um lugar repleto de “vibe”, como eu falei em meu primeiro texto, ele desperte uma gama completamente diferente de sensações do que um simples hambúrguer comido “no vácuo”, com uma análise objetiva do produto.

Ainda de acordo com Vera Teixeira: “Assim, quando as pessoas estão envolvidas numa experiência nostálgica, a acessibilidade da memória dos auto-atributos positivos aumenta, i.e. a nostalgia tende a reforçar a positividade (Vess et al., 2012)”

Fuck the ABNT, gente. Vou fazer citação não.

Entenderam meu ponto? Muita gente foi impactada pelo Burgernight nos early days da marca. Um lugar massa (Chico Discos), um hambúrguer muito gostoso, música boa, ambiente de descontração, uma coisa nova em São Luís.

E muita gente continua ser impactada pela Fonte, por todas as sensações que o Centro Histórico traz.

A legião de fãs faz todo o sentido.

Sabe quem não se encaixa nesse grupo? Isso. Eu mesmo. Como também já expliquei no primeiro review, nem do Centro Histórico eu gosto tanto hoje em dia.

Sabe quem me impactou dessa forma? O Bunker.

Quando o Bunker abriu sua primeira loja, eu estava descobrindo cervejas artesanais, frequentava bastante com queridos amigos que nem moram mais aqui, foi o primeiro hambúrguer gourmet de alto nível que provei em São Luís…

Por isso tenho tanto carinho pelo local.

Embrulhadinho

Quer dizer que o Burgernight só é bom para quem tem nostalgia alimentar?

Claro que não! Acho que esse sentimento só vai te levar até certo ponto. Não dá para ser um dos maiores da Ilha só com o público antigo. Você precisa sempre expandir.

Só que até agora não consegui ter o orgasmo gastronômico que sempre ansiei. Eu AINDA acredito que não provei o melhor do BN. Talvez seja só azar, talvez só não seja pra mim.

Mas leia TUDO que eu escrevo com a grain of salt.

Na verdade, desconfie de TUDO que você lê. Leia bastante, pesquise, mas sempre tire suas próprias conclusões. Vá no Burgernight, vá no Bunker, peça até delivery se for o caso, mas não deixe de experimentar os hambúrgueres bons de São Luís.

Até mesmo aqueles que não estão sempre na mídia.

https://www.facebook.com/burgernightslz/
https://www.instagram.com/burgernightslz/