Em terras de além Filipinho, Lálio é rei?

Acho que se São Luís tivesse um FLA Vs FLU das comidas de rua, seria Sousa Vs Lálio.

Em uma enquete do Você Gastrô eles foram inclusive os dois primeiros colocados. Todo mundo tem um preferido.

Mas as minhas opiniões estão, por acaso, geralmente longe dessas listas. Alguém viu a do melhor hambúrguer? Quem ganhou na época foi o Armazém e o Scandza, que ficou em terceiro, já até fechou as portas.

Pois é.

E eu demorei muito tempo para conhecer o Lálio em seu bairro natal, no Filipinho. Na época já era um jovem adulto e estava meio afastado do Sousa, como bem expliquei no último post.

E foi amor à primeira vista.

Eu ADOREI o cachorro quente, adorei a velocidade de atendimento, adorei a maionese.

Rapidamente tornou-se meu hot dog preferido, mas a distância da minha então residência fazia com que a frequência fosse muito menor do que a vontade de ir por lá.

Tipo um namoro à distância.

Essa história completa também já foi contada no Lanche Barato raiz, em 2012.

Fast Forward to 2018

Letreiro apagadinho

Agora tem um Lálio perto da minha casa. E tem outro no Angelim.

Vou lá com frequência? Não. Menos do que gostaria.

Ainda estou de rolo com o hot dog? Não, perdeu um pouco do brilho.

E enquanto escrevo isso, logo após publicar o texto sobre o Sousa, fico pensando que deve mérito da concorrência mesmo.

O nível de gordice da cidade está alto, amigo.

Mas vamos lá…

O ambiente do Lálio Turu é totalmente diferente do Lálio Filipinho. Ao invés de banquinhos e um meio fio, com carros e ônibus tirando o fino, temos mesas de madeira, uma porta de vidro, ar condicionado e uma televisão passando quase sempre novela.

É mais ou menos isso aí. A montagem e a televisão.

Que contraste, meu parceiro.

As paredes são meio nuas, ia curtir alguma decoração.

Mas nada que tire a importância de toda essa mudança. Se vacilar, é um dos “podrões” mais arrumadinhos da cidade, se colocarmos Reis, Sousa, Mr. Burger, Val Lanches e tantos outros na balança.

O atendimento é daqueles que você vai ao caixa, faz seu pedido, paga, e recebe uma senha.

O QUE É ÓTIMO.

Cara, o atendimento em São Luís, em geral, é uma bosta. Todo mundo sabe disso.

E tirar completamente o fator “garçom incompetente” da equação é um plus.

Muito mais rápido levantar, ir ao caixa, e pedir logo outro refrigerante do que ficar tentando chamar a atenção dos atendentes.

E, geralmente, o Lálio é rápido.

Não lembro de já ter esperado mais de 10 ou 15 minutos pelo meu pedido e, nessa visita não foi diferente. Em 10 minutinhos já estávamos com os pedidos na mesa.

Isso nos leva ao cachorro quente.

Batatinha crocante. Bastante queijo

Eu AINDA prefiro o Lálio do que o Sousa. Mas, dessa vez, nesse embate, o Sousa chegou perto, bem perto.

Existem Hot Dogs por aí que parecem que são xerox um dos outros. Flerte, Mr. Burguer e Val Lanches, estou falando com vocês.

Por mais que a estrutura seja tecnicamente igual: carne moída, salsicha, saladinha de repolho, milho, ervilha e batata palha, simplesmente não consigo colocar um ao lado do outro em matéria de sabor.

Cortadinho no meio

É igual, mas é muito diferente.

Obviamente pedimos o cachorro quente tradicional, saindo por R$ 12,00.

Meus amigos, estava SENSACIONAL. A maionese super gostosa, combinava perfeitamente com o conjunto da obra. A batata bem crocante, dando aquele textura que o cachorro quente precisava e o pão bem macio, recebendo os sucos do dog e ficando uma delícia por si só.

Maionese tava marcando presença

Parecia que todos os ingredientes estavam super frescos.

Abriram aquele saco de batata 10 minutos antes do meu pedido, aposto.

E se sempre é tão bom assim, se é perto da minha casa, por que eu vou lá com mais frequência?

Sinceramente não sei.

Talvez pelo fato de, em geral, preferir hambúrguer, talvez por só ter cachorro quente, o que delimita um pouco as escolhas de um grupo.

(sim, tem hambúrguer lá, mas fica o aviso. Não peçam não.)

Tem até outras opções, mas…

A realidade é que o Lálio é atualmente meu cachorro quente (podrão) preferido e, novamente, a última vez que comi no Sousa ele estava BEM perto na questão de sabor, mas é inegável que destes dois, o primeiro deu um salto maior quando o assunto é conforto, modernização e higiene.

Ambos ainda são super arcaicos em relação às mídias sociais e Internet, mas é quase pedir demais. Pelo menos ar condicionado já temos.

E, correndo o risco de me tornar repetitivo, Vá ao Lálio. Vá ao sousa. Vá aos dois no mesmo dia e faça o comparativo.

O Lálio é excelente e também é um local quase histórico que merece, com certeza, a sua visita.

Ainda é, em minha humilde opinião, o melhor cachorro quente tradicional da cidade.

Próximo ao Nº 16, Av. Jerônimo de Albuquerque, S/N — Angelim
Av. Daniel de la Touche, 03, Cohajap.
Avenida João Pessoa, quase em frente ao colégio Master. Filipinho
http://instagram.com/hotdog_lalio (mas nem tem publicações)
(98) 99606–2822