Hambúrguer gourmet ou Hambúrguer Artesanal?

Erick Jacquin manja da gourmetização

Acredito que desde 2016, por aí, houve uma grande “gourmetização” da gastronomia: hambúrguer gourmet, cerveja gourmet, brigadeiro gourmet.

E tem até um sketch da Porta dos Fundos que exemplifica bem essa “moda” de mudar um nome e cobrar o triplo por isso.

Mas será que tudo isso é gourmet mesmo? Faz sentido?

Um hambúrguer de 200g com o meio vermelhinho é mesmo Gourmet?

Eu discordo. Já falei isso no meu texto sobre o Braga Burguer. Acho que essa palavra está sendo jogada por puro modismo e aqui embaixo eu vou tentar te explicar o porquê.

A melhor forma de começar é com o levantamento de definições.

A palavra Gourmet apareceu pela primeira vez em 1825, no livro “A fisiologia do gosto”, do gastrônomo francês Brillat Savarin, e logo em seguida no “Almanach des Gourmands”, que indicava bons locais para comer em Paris, locais Gourmet.

Basicamente o Lanche Barato da Época. Aposto que não tinham vídeos.

Ou seja, em seu uso original Gourmet indicava a alta gastronomia, uma comida que necessitava de técnicas ou ingredientes que fugissem do comum.

Obviamente não é algo MELHOR, mas é algo diferenciado.

E essa é uma definição que, em minha opinião, faz total sentido.

Para dar continuidade eu preciso levantar mais uma palavra da moda aqui: artesanal.

Bárbaros: 100% Artesanal!

De acordo com o Google: “diz-se das coisas feitas sem muita sofisticação; rústico.” Ou seja: o entendimento óbvio de artesanal, é algo feito à mão, não industrializado.

Quando chegamos em uma lanchonete, ninguém quer comer hambúrguer Sadia ou maionese Hellman’s. Isso tem em casa.

É um produto padronizado, entende? Por via de regra, pelo padrão de qualidade, todo hambúrguer Sadia vai ser igual. Todo pote de maionese Hellman’s vai ter o mesmo gosto.

E apesar de não ser mais tão comum nos dias de hoje, no Lanche Barato das antigas, eu SEMPRE tinha que perguntar se era carne caseira antes de fazer o pedido. SEMPRE.

A Z Deli, de São Paulo, faz TUDO. Do pão ao picles (fonte: instagram.zdelisandwichshop)

Esse é exatamente o ponto. Acredito que existe uma confusão gritante quando estamos falando de Hambúrguer Gourmet e Hambúrguer Artesanal.

Pois bem, vamos soltar a bomba: a grande maioria dos hambúrgueres em São Luís NÃO SÃO GOURMETS.

Pense comigo: Existe algum hambúrguer realmente pensado com ingredientes diferenciados, com processos mais elaborados por aí?

Sim! Mas não são todos…

De cabeça consigo pensar no Cozinha Guidô, no Mokai (com aquele queijo derretido no potinho e a “farofa de bacon”), e até no Bunker, que traz um dos burguers com queijo gorgonzola.

Não esqueci do Chutney de manga do B.Burger.

Sim senhor. Chutney de manga é sensacional!

São coisas que fogem do nosso senso comum. Alguns destes com processos não tão simples.

Levando as coisas pro outro lado, vem uma classificação um pouco mais difícil. Hambúrguer Artesanal.

Generalizando, todo hambúrguer que não seja industrializado, é artesanal: Bárbaros, Duobus, Descovi, REIS, MISTER BURGUER, VAL LANCHES…

E é agora que as coisas começam a ficar complicadas

É muito difícil colocar um “podrão” no mesmo balaio de um hambúrguer mais pensado e com ingredientes de melhor qualidade.

Um hambúrguer do Reis Lanches, apesar de não ter uma carne alta, ponto definido, combinação de texturas e sabores, de ser basicamente uma grande mistura de tudo que estiver na chapa, é um hambúrguer artesanal.

Assim como o Vikings do Bárbaros, que tem queijo cheddar, carne de costela com um ponto certinho, pão australiano…

Olha o menino aí

Faz sentido?

Pra facilitar: Podrão e Artesanal.

Ainda que, novamente, um “podrão” ainda seja um hambúrguer artesanal.

Não me leve a mal, eu adoro um bom podrão.

Ainda vão, claro, aparecer com mais frequência no Lanche Barato.

Mas existem tantas hamburguerias novas e boas, que fica difícil ficar comendo praticamente o mesmo lanche em todo lugar.

Ou vai me dizer que o X Tudo do Reis é super diferente do X Tudo do Alex Lanches?

São Luís está vivendo uma grande bolha de hamburguerias.

Há uns anos muitas delas têm pipocado por aí. Algumas vão caindo de nível, outras já até fecharam as portas.

Mas se tem alguma coisa que não mudou é que um bom hambúrguer é um bom hambúrguer. Seja um gigantesco X Tudo ou um Cheeseburger do Duobus ou do Burgernight.

Mas que tem uma diferença entre Gourmet e Artesanal, isso tem.

Super Simples. Super gostoso.

Espero que você tenha gostado desse post um pouquinho diferente aqui no Lanche Barato. Lembra um pouquinho os primórdios quando rolavam altas discussões sobre maionese pasteurizada.

Se, por acaso, você quiser ver mais posts desse tipo, é só deixar um comentário aqui embaixo.

Não gostou, discorda da minha definição de gourmet? Comenta também!

Conversamos mais na semana que vem.

Um abraço

Like what you read? Give Lanche Barato a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.