Sadler: pit smoker, um quintalzão foda e mais um hambúrguer excelente

Chapa ou Churrasqueira?

Todo mundo tem seu preferido, mas pra mim, sinceramente, tanto faz.

O que importa na verdade é o piloto e como ele faz o burguer. Tem hambúrgueres foda na chapa, tem hambúrgueres foda na churrasqueira.

Mas agora é quando as coisas começam a ficar um pouquinho mais complicadas. Não faz lá muito tempo que fui ao SMOKE SLZ e fiquei maravilhado com a técnica de defumação para hambúrguer.

Logo, mais um processo de preparação acabou entrando pra conta: Chapa, Churrasqueira ou PIT SMOKER?

E é com essa dúvida em mente que trago o review completo do Sadler BBQ, com mais uma amostra de hambúrgueres feitos na defumação em São Luís.

Antes de continuar, uma história.

Fui duas vezes ao Sadler, mas só comi uma.

A primeira vez, um domingo, cheguei às 20h e, para minha surpresa, não tinha mais hambúrguer, só Pulled Pork e Choiburguer, como falei no meu post sobre o Lasanhass.

Um trecho deste texto:

“Por um lado você como empreendedor entende que é um estabelecimento jovem, que ainda está testando as águas e talvez não esteja tão preparado para a demanda crescente.

Por outro lado, como consumidor…”

Enfim. É o que é.

E no último sábado, conseguimos finalmente cumprir essa quest e degustar o blend bovino do Sadler.

Placa do Sadler

O local é FUCKIN’ LINDO.

FUCKIN’ lindo.

Na primeira vez é como se estivessem em “Soft Oppening”. Somente a frente estava funcionando.

E já era foda. Vários tonéis com mesas de madeira sobre a grama, uma meia luz, o pit smoker ao fundo, como ponto de ancoragem para toda a moldura do local.

Sinceramente, estaria feliz se ficasse por ali.

Na segunda vez, porém, fomos mais fundo. Literalmente no fundo da casa.

Sim. Que recepção poderosa

Primeiro você passa pela caminhonete Sadler, muito bonita, toda restauradona. Alguns passos em sua jornada gourmet, rumo à terra da fumaça e carnes macias, você passa pela placa Sadler.

Também muito bonita, grande, iluminada. Sólida.

E o interessante é que qualquer uma dessas duas features por si só já chamam a atenção.

Logo do lado tem um terreno IMENSO (do tamanho de uma quadra poliesportiva de escola)

FORD

Lá fica um Pitsmoker GIGANTE da Kings Barbecue e várias mesas de apoio com pães, molhos, e ingredientes.

Uma estação de trabalho grande e bem organizada.

E ainda assim, mais na frente, fica o restaurante. Grandes mesas de madeira na frente. Mesas menores atrás da piscina e logo após, no que seria um campo de futebol, um espaço kids.

Existe outro “ambiente”, mais intimista e o “bar”, ao lado da parrilla.

Um muralzão foda e temático adorna uma das paredes, fechando o conjunto como o ponto final em uma deliciosa sentença churrasqueira.

Muito massa

Impressionante.

O Atendimento foi bem tranquilo em sua maior parte. Existiam muitos garçons e os pedidos não demoraram.

Ouvi uma certa confusão enquanto zanzava entre o local com minha câmera, alguns funcionários ainda incertos sobre números de mesas e para onde deviam ir os pedidos, mas nada que fosse trágico ou que possa considerar um defeito.

Pelo menos em minha experiência.

Finalmente, ao que interessa, o hambúrguer.

Burguer Tradicional

Pedi o “Burguer Tradicional: 150g de carne, queijo prato, cebola caramelizada, molho especial à base de maionese e ervas” R$ 20,00

Adicionei bacon por mais R$ 2,00.

Primeiro as críticas:

150g de carne é POUCO. Sério, porra. É pouco.

Não sei se existe alguma limitação pelo processo de defumação, acredito que não, mas eu como 150g de carne e parece quase uma degustação.

Eu quero um hamburgão foda de 180g. Se vacilar de 200g. Fui no Ogro e pedi logo um Caminhoneiro. Que vem com dois blends de 180g.

Os meus hambúrgueres faço sempre nessa gramatura. A estrela do prato é a carne. Todos os outros ingredientes servem para levantar o sabor do blend. Colocar 150g — EM MINHA OPINIÃO — é quase esconder o rockstar atrás de um pocket show.

(Vocês sabiam que já tive uma hamburgueria?)

A segunda crítica é ao bacon. Cortado em finas fatias, mas estava com a pelezinha, mais dura e quase impossível de se mastigar. Fui tirando da boca tipo uma espinha de peixe.

Vai levar um mordidão

Em segundo lugar, os elogios.

A carne estava sensacional.

Super macia (como um bom hambúrguer defumado), bem temperada, presente. Perfeição. Talvez isso tenha enfatizado

Outro ponto que também achei ótimo foi o bacon. Super fininho e super crocante. Dando textura ao hambúrguer. Um “crec” na mordida.

Vem com essas bandeirinhas pra diferenciar os pedidos

Se estivesse sem a pele mais grossa to die for.

O pão macio e os molhos complementaram cada mordida com maestria.

E o preço, apesar de não vir bacon, é SUPER barato perto da estrutura de primeira linha que o Sadler trouxe.

Poderia ser um hambúrguer chique de R$ 35. Poderiam servir só carnes nobres por R$ 70,00 a porção individual.

Mas não é.

E todos devemos só ficar felizes de poder comer em um lugar tão foda gastando só vintão.

Comparações com o Smoke Slz são inevitáveis. São os dois únicos hambúrgueres feitos na defumação em São Luís, que eu sabia.

E ambos são incríveis. Definitivamente dois dos melhores hambúrgueres que você pode comer esses dias.

Acredito sim que eu tenho minha preferência pessoal, e acredito também que você deve tentar descobrir a sua.

Ambos são foda. Isso eu digo.

Por hoje é só. Vejo vocês em breve.

R. São Geraldo, n190, Olho d’agua.
https://www.instagram.com/sadler_bbq/