Força na peruca

“Repica, Renê. Repica!”. É impossível falar de corte de cabelo sem lembrar do filme Divã no qual a Mercedes (Lilia Cabral) pede para que seu cabeleireiro (Paulo Gustavo) mude seu visual.Cortei. Cortei curtinho, ultracurto, pixie. E não sei porque demorei tanto tempo para fazer isso, já que esta decisão estava tomada há, pelo menos, uns bons três anos.

Um corte de cabelo pode representar muita coisa para uma mulher. Para mim sempre foi sinônimo de transformação, rito de passagem, algo assim. Nesse caso, mais do que uma mudança, cortei (bem curtinho mesmo) apegada a um sentimento de resistência, de luta, de mostrar a cara e me posicionar como mulher, de esquerda, que tem lugar de fala.

É como um um salto de paraquedas. Libertador. Um desapego, talvez, nessa minha fase formanda em yoga e tudo que venho aprendendo, conhecimentos e experiências adquiridas. Desprendimento. Autoconfiança (olha ela aí de novo). Amor próprio. Sangue nozóio.

Meu cabelo antigo não tinha mais nada a ver comigo. O novo, ao contrário, tem a ver também com a minha feminilidade, a forma como eu trato as questões da aparência, do que é ser bonita, do que é ser interessante e como venho trabalhando o senso comum sendo mãe de uma pré-adolescente aquariana de personalidade marcante.

Depois que cortei ouvi alguém dizer que “é preciso ter muita coragem”. Olha aqui eu, que tem coragem como sobrenome (risos). Nem vou entrar a fundo na cultura machista, mas quem nunca ouviu que “homens não gostam de mulheres de cabelo curto”. É legal pra puxar, né? Bullshit.

Nesse nossa sociedade de mer*a, ligam mulheres de cabelo curto à sua orientação sexual. É porque temos que ter cabelos longos, cheirosos e bem cuidados para agradar aos homens. Sempre eles. Bem objetificada mesmo. Estou boa suficiente para agradar os olhares masculinos? Indo ali vomitar rapidão.

Ademais, é só cabelo, amor! Cabelo cai, cresce de novo, fica branco, se transforma. Se apegue menos ao cabelo e mais a sua autoestima. Nuca de fora e mais amor próprio. Esse é o hit do verão 2019 para mim ❤

Para ouvir: You Won’t Regret It (Céu)