9 ideias para ser mais produtivo trabalhando de casa

Um guia de uma microempresária no modo 'single player' contra o chefão da procrastinação

Lari Maza
May 19, 2016 · 10 min read
Foto: Lari Maza.

"Você trabalha em casa? Que inveja!" — todo profissional em home office já ouviu essa reação incontáveis vezes. Trabalhar de casa é um sonho e um objetivo de vida para muitos; especialmente nas grandes cidades, onde passamos mais tempo no trânsito do que dormindo, ou temos nossa dignidade espremida pra fora do corpo no transporte público.

Apesar de concordar que há muitas conveniências envolvidas nessa configuração, existem também muitos desafios, já que (aparentemente) nada te impede de passar o dia vendo Netflix. Para os profissionais autônomos, manter a disciplina é ainda mais difícil. Sem um chefe pra te cobrar, a responsabilidade fica por sua conta — e não há ninguém que você saiba driblar melhor do que você mesmo.

Depois de quatro anos de conflito entre a Lari funcionária e a Lari chefe (aquela megera), aprendi uma coisa ou outra sobre trabalhar em casa e listo abaixo 9 idéias para melhorar a sua produtividade:

  1. Use um planejador visual (a.k.a. planner)

Planejamento é uma das melhores coisas que você pode fazer pelo seu eu futuro, tanto na vida pessoal quanto profissional. Eu nem sei dizer quantas vezes já parei e pensei: "obrigada, Lari do passado". Faça esse gesto de amor por si mesmo (até porque, a viagem no tempo pode ser inventada e o seu eu futuro vingativo virá puxar o seu pé).

Existem muitos modelos prontos de planejadores diários, semanais, mensais e de outros períodos na Internet (links do Google: daily planner, weekly planner, monthly planner). É fácil fazer o seu, também: basta montar uma página com espaços bonitinhos para cada hora/dia/etc e, às vezes, alguns campos extras. A função de um planner é ficar pendurado à vista e ser um guia de referência não só para organizar, mas também para te aliviar da decisão do que fazer a seguir. Aliviar, sim: decisões são emocionalmente exaustivas e tudo o que você puder fazer pra evitar as corriqueiras lhe poupará energia para as mais difíceis.

Eu, particularmente, gosto de ter um planejador semanal e um planejador mensal. No planejador semanal, detalho em cada um dos dias da semana as tarefas que farei (de modo geral) e seus horários. Por exemplo:

Segunda-feira

8:00 — 9:30: Estudar HTML

9:30 — 12:30: Preparar pedidos de clientes e responder e-mails

12:30 — 13:30: Horário de almoço

…e assim por diante. Você é quem decide o quanto vai separar e detalhar as tarefas, de forma macro ou micro.

E no planejador mensal, anoto eventos que acontecem regularmente todo mês:

Dia 5: Pagamento de fornecedores

Dia 20: Disparo de e-mail marketing

Você já deve estar se perguntando: Mas por que simplesmente não usar uma agenda? Bom, eu sou levemente obcecada por organização e acredito que as duas coisas têm funções diferentes. Uso os planners como guias de eventos e tarefas constantes, repetitivos; e a agenda, pra anotar eventos pontuais e que podem sumir da vista depois de finalizados.

Bônus: se você curte mesmo organização, vai querer conhecer o melhor e mais unificado modelo de agenda e anotações EVER, na minha modesta opinião: o Bullet Journal.

2. Tenha hora certa pra acordar

Eu sei, a ausência dessa regra era a melhor parte! Mas veja bem: não estou dizendo que você deve acordar necessariamente cedo, mas deveria acordar na mesma hora todos os dias. Imagine o seguinte: seu dia está programado para começar às 8:30h no planner. Mas, hoje, seu corpo não te acordou na hora que deveria e você levantou às 11h. Você começa as primeiras tarefas, mas logo já é hora de almoçar. Volta para o computador e, antes que possa começar as tarefas do período da tarde, já são 19h. O fato é que o tempo passa muito mais rápido quando você acorda tarde (em relação à sua rotina), e algumas tarefas estão fadadas a ficar pro dia seguinte. E quanto mais acumulamos, mais desânimo sentimos e mais procrastinamos. Pensou na bola de neve se formando?

3. Tenha um ambiente separado

O Batman tem uma mansão e, mesmo assim, separou o seu ambiente de trabalho na batcaverna. Tudo bem que ele fez isso porque tem uma identidade secreta e todo mundo sabe onde fica a mansão Wayne, mas você ainda pode dizer que aprendeu uma lição de home office com o Batman.

Muitas pessoas, até por falta de espaço, acabam trabalhando no seu quarto ou, pior ainda, na sua cama. Isso pode prejudicar muito sua capacidade de separar a "hora de relaxar" da "hora de produzir" e entrar no modo certo quando precisa.

Nosso cérebro adora associações. Se você passar por uma experiência traumática enquanto uma música toca ao fundo, por exemplo, é bem possível que fique insuportável escutá-la depois. Da mesma forma, se você costuma deitar na cama pra assistir seriados e dormir, é tudo o que seu subconsciente vai querer fazer toda vez que chegar perto dela. O lugar em que dormimos tem até um cheirinho característico de "naninha", o que é praticamente fumaça no detector do seu modo "relaxar".

Um ambiente destinado só para o trabalho, por outro lado, ligará o modo "produzir" no seu subconsciente e te deixará mais propício a focar rapidamente, por não ter outras distrações causadas pelos seus sentidos. Da mesma forma, o inverso também pode ajudar a melhorar a qualidade do seu descanso! Se você usa aquele lugar só pra descansar, ele se torna o seu santuário, onde é um pouco mais fácil desligar as preocupações do trabalho e repousar.

É claro que nem todo mundo dispõe de um cômodo extra na sua casa pra transformar em escritório — mas essa separação pode ser feita na sua sala de estar, ou mesmo em um canto separado e bem definido do seu quarto, embora não seja o ideal. Se, além da falta de espaço, você não tem muita privacidade (muito importante caso more com outras pessoas), é melhor tentar produzir num espaço externo — como escritórios de coworking, centros culturais e até cafés.

Como a interferência de outras pessoas é um tópico já bastante discutido em outros artigos sobre home office, vamos pular esse assunto e partir para o próximo:

4. Não trabalhe de pijama

Aqui vale também o princípio do item anterior: é tudo uma questão de condicionar o seu subconsciente. A troca de roupa tem o mesmo efeito da troca de ambiente e ajuda a deixar a preguiça pra trás. Se quiser, encaixe um banho no começo do seu dia pra efetivar essa passagem. Emendar um dia no outro com o mesmo pijama fica para as férias, ok?

5. Respeite a hora de descansar

É muito fácil misturar trabalho e vida pessoal ao desempenhar a função que você gosta, especialmente quando se trata de um projeto em construção ou um trabalho solo que demanda atenção constante. Por isso, é normal acabar esquecendo de separar as coisas e considerar uma vitória quando você consegue produzir por 20 horas sem parar.

O problema é que, com o surgimento de novos modelos de trabalho mais acelerados e intensos, cresceu também a glamourização do sacrifício pessoal em prol do trabalho ininterrupto (o que nem sempre é sinônimo de produtividade). Um exemplo extremo disso é a redatora que morreu após trabalhar por três dias seguidos, deixando para trás o tweet: "30 horas de trabalho e ainda estou firme e forte".

Em proporções menores, todos somos vítimas do ritmo frenético da nossa sociedade, e às vezes precisamos simplesmente desacelerar. Trabalho excessivo pode até funcionar por um tempo; mas se você tiver hora certa pra desligar todos os dias e não se deixar sobrecarregar, ainda terá tempo pra todas as suas tarefas, acredite. Com a mente descansada, seu raciocínio funciona mais rápido e com mais eficiência: quantas vezes você já foi dormir com um problema e acordou com uma solução?

6. Planeje suas refeições no domingo

Lembra quando eu disse que decisões são emocionalmente desgastantes? Você pode não ter percebido ainda, mas até as mais triviais têm o poder de te estressar. Olha só: 15% dos casamentos terminam por causa de discussões sobre o que comer no jantar.

Mentira. Acabei de inventar essa estatística, mas é bem possível, não é?

Então, quando você estiver trabalhando e de repente der a hora do almoço e não tiver nada pronto na geladeira, vai bater uma pontinha de raiva do seu eu passado (olha ele aí). Você vai precisar preparar algo, comer e lavar a louça, ou deixá-la pra sua sagrada hora de descansar. Ou vai acabar pedindo delivery e gastando mais do que gostaria (além de sabotar sua dieta, se você segue alguma). E sair pra almoçar nem sempre é uma opção, seja por preço ou distância. Pra isso é que servem os freezers: são um portal para o futuro, onde você pode deixar pro seu futuro eu bastante feijão no pote de sorvete. Se você cozinha, prepare as refeições no final de semana e congele-as em porções pequenas. Senão, recorra aos abençoados vendedores de pratos congelados.

7. Coma o que te dá saciedade

Calma, você não piscou e foi parar na blogosfera fitness. Segura as pontas, que ainda estamos falando sobre produtividade!

Como já estabelecemos de início, trabalhar de casa tem muitas vantagens e uma delas é que a sua cozinha é, provavelmente, muito mais legal do que a cozinha da firma. Então, é comum que um trabalhador de home office acabe se transformando em ímã e sendo atraído para a porta da geladeira várias vezes por dia — especialmente se estiver com bloqueio criativo.

Ansiedade, ócio, puro hábito ou até compulsão; várias coisas podem levar ao impulso de beliscar, e isso é sempre uma desculpa pra fazer uma pausa indevida. Pra evitar a distração da fome constante, uma boa tática é procurar alimentos que promovem saciedade por um período prolongado. Isso varia de pessoa pra pessoa, mas é quase universal que proteínas e alimentos ricos em fibras levam mais tempo para ser digeridos do que uma refeição feita só de carboidratos leves (que, não por acaso, é justamente o hábito da maioria das pessoas). Quando você come só um pão francês, por exemplo, ele libera açúcar muito rápido na sua corrente sanguínea e gera um pico de glicose. Quando esse pico despenca, seu corpo sente a queda e interpreta como fome.

Então, de modo bem geral, é bom procurar balancear todas as refeições com algo que dure mais tempo no seu sistema e permita que você se concentre. Mas, como não sou nutricionista e reproduzo apenas as orientações que recebi, aproveito pra incentivar que você procure o seu. Nutrição é saúde, e saúde é a base da produtividade.

8. Invista em ergonomia

O sofá é um lugar bastante convidativo pra se esparramar com um notebook e vários cadernos. A cama, então, nem se fala. Mas as suas costas não ficam felizes no final do dia (se você não sente agora, seu eu futuro vai sentir. Ou está sentindo, já que o tempo é uma bolha). Já cobrimos o território do subconsciente, também: sofás e outras superfícies muito aconchegantes têm o poder de ligar o seu modo "relaxar", enquanto uma mesa com cadeira te lembram que é hora de trabalhar.

Mas se você pegar qualquer cadeira (aquela de 40 reais quase sem estofado), seu corpo também vai reclamar. Se já teve ou tem uma cadeira ruim, você sabe a coreografia. Você já virou de lado, colocou o pé na mesa, escorregou lá pra frente, sentou em cima da perna, enfim: tentou as posições mais bizarras possíveis procurando uma confortável. Então, invista numa boa cadeira.

Existe muito material na internet sobre ergonomia, e o fato é que ela é sobre ângulos e distâncias facilmente ajustáveis, e não sobre objetos caros específicos — exceto pela cadeira. A cadeira é a peça que vai literalmente te apoiar o dia todo e, portanto, é onde eu recomendo que você concentre sua verba. Visite várias lojas de móveis para escritório e não tenha receio de testar muito pra fazer uma boa decisão.

9. Estabeleça pausas para distrações

Trabalhar no computador é lidar com a tentação de estar a um clique de distância dos seus amigos, do YouTube, do episódio novo daquele seriado imperdível; sem falar no seu celular, bem ali do lado, explodindo de notificações. Muito já se foi explorado nas estratégias para evitar as distrações, e a principal é bloquear determinados sites. Como isso não funciona para quem trabalha com as redes sociais (que é também o meu caso), tive que desenvolver limites imaginários.

Nos meus dias mais improdutivos, mais difícil do que lidar com as redes sociais é resistir ao Netflix, já que "não vou render hoje mesmo". Então, pra não ficar sofrendo com a vontade de ver o último Game of Thrones (e o medo de tomar spoiler), resolvi estabelecer uma hora específica no meio do meu dia em que eu posso assistir sem culpa: no meu horário de almoço. Já que almoçar sozinha pode ser meio chato, aproveito pra colocar o notebook na mesa da cozinha e assisto enquanto como. Quando o episódio termina, lavo o prato e volto ao trabalho.

Isso pode funcionar pra qualquer distração que te seduza, desde que você estabeleça um limite rígido pra si mesmo. Você pode marcar de almoçar com amigos que estejam próximos, por exemplo, se a sua necessidade de socializar te incomodar na solidão do home office. Assim, tendo se livrado do "chamado", você pode voltar ao trabalho de consciência limpa.

É possível que você não tire proveito de todas essas idéias, já que algumas podem ser impraticáveis na sua situação ou, pelo contrário, já façam parte da sua rotina. Assim são os artigos, palestras, livros, cursos: se aprendermos ao menos uma coisa nova e aplicável em nossas vidas, já fizemos bom proveito do material. Da mesma forma, espero que essa leitura tenha gerado pelo menos um insight para melhorar a sua produtividade (caso contrário, desculpe: o balcão de devolução dos últimos 10 minutos da sua vida fica no final do corredor à esquerda). Faltou a sua dica infalível aqui? Mande uma resposta com a sua experiência pra que eu e os outros leitores possamos aprender com ela, também!

Lari Maza

Written by

Lari Maza

Front-end developer @ Magnetis. São Paulo, Brazil. Board games. RPG. Rock'n'roll. Minimalism.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade