A boca fala o que o coração está cheio


Ela acha que eu estou bem, quem dera eu tivesse. Sinto muito, mas você está enganada, sinto muito, mas só sinto dor.

O tempo inteiro sinto o teu vazio aqui, nas roupas que escolho que você dizia que queria todas, nas comidas que faço, e fazia pra você. Nas musicas que escuto que consequentemente eu te enviava pra você pensar em mim assim como eu pensava em você. Nos lugares que eu vou, cada canto tem um canto que era só nosso.

Passo por lugares, vejo pessoas, tento te encontrar em outros rostos, outras conversas, mas não, nunca é você. Não existe ninguém como você, eu já te disse isso uma vez. Que antes de te conhecer eu não tinha sonhado em ter uma pessoa como você, porque você foi além dos meus sonhos e vontades, na verdade você foi na contra mão disso tudo. Você era diferente em tudo, no jeito de falar, jeito de pensar, jeito de agir.

Encontrei em ti um mistério pra descobrir. E eu amava a aventura de conhecer cada partinha escondida em você, até aquelas mesmas partes que nem você conhecia.

Nossa história foi uma aventura desde o início, complexa e intensa assim como seus olhares sobre mim. E eu amava, e continuo amando nossa história e continuo amando você, da forma mais intensa e extensa que meu coração poderia amar alguém.

Nunca duvide disso, sempre te disse, e além disso sempre te mostrei com gestos e atitudes, enfrentei todos meus demônios pra continuar ao teu lado, fui mais forte do que pensei que poderia ser. E não por ser difícil estar com você, difícil mesmo é não estar. E hoje sei disso, antes imaginava, mas saber e viver isso dói bem mais.

Hoje já não consigo mais trabalhar direito, meus pensamentos voam em você.

Hoje não consigo dormir direito, a insônia grita compulsivamente seu nome.

Hoje não consigo prestar atenção na aula, agora mesmo estou na aula de matemática, e meus cálculos estão todos errados porque a única coisa que consigo calcular é a distância do seu corpo do meu.

Hoje levantar da cama é bem mais difícil, no lugar da preguiça ficou a tristeza, e ela insiste em me puxar, sugar de volta.

Hoje é mais difícil respirar, você sabe que quando eu fico triste meu corpo corresponde da mesma forma e fico doente. Irônico isso né? Estou doente de amor. Ou da falta dele. Não sei bem dizer.

A verdade é que eu me atrapalho em palavras porque quando o assunto é você eu tenho muito a dizer, porém é tantas coisas que eu acabo falando de uma vez e se torna uma enorme bagunça.

Mas eu vou continuar falando, continuar escrevendo, porque igual a minha mãe sempre diz:

“A boca fala o que o coração está cheio”

E meu coração está cheio de você.


Larissa Freschi