Do porquê de eu escrever.

Quando eu escrevo conto ao mundo um pouco de como me sinto. Minhas estórias são coisas minhas e nossas, que eu quero compartilhar pra diminuir aquela sensação de que estou sozinha por aqui e de que ninguém me entende. Acalmar minha adolescente interior e talvez entender que o mundo não gira ao redor de mim. Embora, muitas vezes, eu me sinta culpada pela guerra ou a queda do dólar.

As pessoas que me leem normalmente me escrevem, dizem que se identificaram com minhas palavras, que sentiram que eu falava com elas, que era sincero (porque é). Minha única qualidade é ser verdadeira em tudo, e isso me custa muito, mas quando alguém me elogia, eu fico em paz. Aceito que minha missão na terra é falar com verdade sobre as coisas. As mídias estão cheias de pessoas fingindo ser de verdade. Eu não finjo. Fique a vontade para ler e comentar se gostar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.