Dormir demais e nunca ser o suficiente…

Ontem fiquei o dia todo na cama, boa parte dele dormindo. Tomo duas medicações pra depressão, uma pela manhã, que até o período de adaptação, que já passou, me deixava um caco, imprestável mesmo. Eu que já sou uma pessoa bem desprovida de coordenação motora, fiquei pior. Dores de cabeça terríveis, sem força pra levantar, coisa que eu só fazia quando a bexiga estava realmente explodindo. Tive dor de barriga (o que não é muito normal pra mim) e perdi a vontade de viver. Mas uma coisa é certa: eu não sentia nada emocionalmente. Um vazio completo. Nem raiva, nem tristeza, nem felicidade. Nada. Isso nos poucos minutos que eu ficava acordada.

A ordem da minha alimentação mudou também. Acordo com uma fome imensa. Como muito pela manhã… tento tomar uma grande quantidade de café pra ver se me mantenho acordada mas nem sempre funciona. Outra refeição que me agrada é o café da tarde, adoro passar o tempo pensando em nada tomando meu cafezinho e comendo um bolo ou pão, sei lá. Tenho aversão à comida de verdade, tipo Almoço e janta. Muitas vezes me forço a comer, mas não sinto a menor vontade ou prazer nessas refeições.

Depois da comida, vem a cama. Meu melhor lugar do mundo, onde ligo uma playlist do spotify e durmo o resto do dia. Porque dormir é bom, minha cama me passa segurança, eu fujo dos problemas pessoais e da feiura do mundo. E assim, pouco a pouco, eu vou deixando de viver, dia a dia. É um suicídio lento e desnecessário.

Se você aí do outro lado se sente assim, vamos dar um jeito nisso, ok?!

Dizem que o mundo é lindo e eu costumava vê-lo assim. Quero ter esses olhos novamente. Vamos lá.

UM DIA DE CADA VEZ. 🦄

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.