Acalento

A saudade faz segundas serem quase sábados

A vontade faz a cidade ser meros quarteirões

E você me vem como quem nada quer e tudo tem

Sorriso no rosto e força no abraço

Cada traço da tua expressão me insufla

Camufla o cinza dos dias e os dá a graça da libertação

Horas se tornam dias inteiros

E duas e quarenta e cinco da tarde contam os quinze minutos que faltam pro amanhã

Estagnados no tempo

Segundos são eternos

E todas as memórias podem ser sentidas

Saiba: mesmo longe, estou aqui

À espera do acalento dos meus dias