Tem dia..

Tem como ser outra pessoa hoje? Tem como adiar os compromissos de hoje? Será que alguém vai notar se eu deixar de responder os recados do e-mail?

Sabe quando você acorda, e percebe que aquele dia não era pra acontecer? Sabe, quando acordei hoje eu me senti frágil e vulnerável a tudo. Desde uma poeira do ar aos pensamentos ruins. Mas tem dia que é assim mesmo né? A gente torce pra acabar logo. Torce pra não lembrar de nada que tire a nossa paz, mesmo quando parece que ela nem existe. Tem vontade de chorar. Tem vontade de falar tudo, mas ao mesmo tempo… Que puta vontade de ficar calado!

A gente olha pro que está faltando, olha pro que não comprou. “O dia já está acabando e eu não fiz nada de produtivo.” Olha pro que não conseguiu realizar. Olha pro tempo, que passa tão rápido que parece levar a gente depressa, veloz e num milésimo de segundo. Tudo falta, tudo é pouco. A gente precisa de tudo, dos amigos, de dinheiro e de roupas novas. O coração sente saudade. E a gente sente…tudo transbordar.

Eu só queria pegar um barco com destino de ida, mas sem volta. Se eu pudesse ficava no meu quarto o dia todo e não arredava o pé de lá. Mas tudo que a gente faz é rir, a gente tem que abraçar quem cumprimentou na rua. Tem que atender os telefonemas. Precisa pegar ônibus cheio e enfrentar o calor da rua. Tudo que fazemos é colocar uma capa e fingir ser outra pessoa. Mas o quebrado não dá pra disfarçar ou remendar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.