aquela sacada

Essas coisas que eu encontro na minha frente me impedindo de ver todo o resto, os telhados, a cidade, não sei bem o porque. Acredito que o que eu sinto no momento seja raro demais. Me acalmo quando penso que o que eu penso não preciso explicar. O vento às vezes se encarrega de levar. Eu imagino o que me espera… Daqui debaixo eu aponto pro alto.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lay Soares’s story.