devaneio

deslizo a mão pelo teu corpo esguio, sinto a textura da tua pele imperfeita porem macia, o teu perfume. mas o cheiro do teu corpo, cru, que me hipnotiza.

num instante, a voz da mente silencia, calam-se os pensamentos ruins dando lugar a sensações há muito sentidas, no mesmo passo que dançamos de uma forma terna e lenta.

me descolo.

viro para o lado e sinto apenas o vazio dos lençóis desarrumados a falta do teu corpo quente sobre o meu, tuas mãos frias. teu cheiro já não está mais impresso em minha pele. tento esquecer.

é apenas mais uma noite aqui.

sozinho.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.