Dentes Podres

Mastigando o alimento 
Enquanto rezo para eu não sangrar
A dor moi meu córtex frontal 
Atrapalhando até meu andar.

E no espelho vejo meu reflexo sem máscaras
Cansaso dobra o aço
Um semblante triste e afugentando 
A tristeza está em meu aguardo
E meus dentes já escuros de tanto fumar.

Já esqueci de me cuidar
Não ligo mais se banhos tenho que tomar
As pessoas já fizeram o que eu faço 
Ao fim 
Eu já desisti até mesmo de mim.

Procurando uma atadura para que eu possa segurar o sangue que tende em vazar
Será difícil pois o corte foi profundo
Sou realmente um ser imundo.

Problemas mentais que agora ardem na carne 
Destes podres é o que teremos
Bebo demais
Fumo demais 
Morro de menos.

POR: Leh Cardoso