Eu só queria que as coisas não tivessem sido assim

Tudo o que fiz foi com as melhores intenções. Pensando no nosso bem.
Absolutamente tudo.

As brigas, as falas, os conselhos, os risos, as lágrimas, os momentos em que fiquei bravo, os micos, as mancadas, as bizarrices.

Nunca, em nenhum momento, pensei em fazer algo maléfico ou que não fosse do fundo de meu coração, para o bem de todos.

Quando pequei, foi pelo excesso. Sequer tenho a capacidade de citar um arrependimento de alguma das tantas situações vividas.

Tenho para cada momento, uma lembrança afetiva.

Para cada lembrança, uma música entoada no fundo de minha mente como em um filme italiano antigo. Ou então um musical qualquer, em que as histórias são contadas com uma animação um pouco brega, porém esteticamente agradável.

Tentei, insisti, lutei o quanto pude. Tive medo de forçar a barra ou acabar sendo inconveniente diante de tantas respostas negativas, recusas ou afastamentos docemente elegantes e brutalmente educados e polidos.

Vai ver era para ser assim mesmo.

Dizem que o destino pode ser irônico e cruel em algumas situações, mas nem tanto quanto as respostas negativas de quem tem tanto a receber, mas se recusa a abrir a porta para quem nela bate e se oferece para entrar de corpo e alma.

Escolhas, nada além de escolhas. E elas precisam ser respeitadas.

Sigo por aqui no meu caminho apenas de ida, pois dizem os velhos sábios que o ser humano consegue se adaptar a tudo, até mesmo àquilo que ele não planejava e surge tão dolorido quanto uma facada no coração.

Não vou ligar, curtir, mandar mensagens ou observar suas redes sociais com copos cheios de corações vazios ou uma falsa ostentação em busca da atenção de almas tão vazias quanto a sua, não se preocupe com isso.

Não se preocupe comigo também, mas eu não volto.

Como falei, meu caminho é apenas de ida e dentro em breve isso será apenas uma pedra no meio dele, quando me recuperar emocionalmente ela já terá sido chutada e esquecida como um almoço com feijão ruim de dois anos atrás.

Se possível, não apareça. Caso em algum momento você mude de opinião, peço sincera e honestamente que finja nunca ter me conhecido, pois posso mudar de ideia sobre tudo que foi vomitado linhas acima com um simples estalar de dedos.

Ou isso é uma vã e inútil esperança que arde no fundo do peito como aquele resto de fagulha não apagado depois de um incêndio destruído e ceifador de almas. No meu caso, do coração.

Sigo em frente e não olho para os lados ou para trás, feito um cavalo e seus antolhos. Em minha imaginação de adolescente iludido, o futuro seria diferente.

Eu só queria que as coisas não tivessem sido assim, trágicas.

(Também visto AQUI)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leandro Marçal’s story.