O grande problema do socialismo

O que deixou caro o programa de saúde criado por Obama, conhecido como Obamacare, é a obrigatoriedade das seguradoras aceitarem qualquer paciente, mesmo aqueles com doenças graves.

Ou seja, a conta de um paciente grave é “socializada” entre todos os usuários do mesmo plano.

O resultado é óbvio: planos mais caros para todos, cada vez menos seguradoras no sistema.

Como em tudo no socialismo, tal prática encoraja os vícios da sociedade. Por que eu irei cuidar da minha saúde se eu não terei que pagar a conta depois?

Claro que esse nem sempre é o caso, muitas pessoas apresentam problemas graves de saúde mesmo tendo um estilo de vida saudável, mas mesmo nesses casos, é correto que todos paguem pelo problema de alguns?

Como seres humanos devemos ser solidários e ajudar os necessitados. Isso pode ser feito através de filantropia, por exemplo. A doação voluntária com esse fim. A própria Igreja era a grande fornecedora dos mais variados serviços básicos gratuitos no passado e ainda faz um grande trabalho nesse sentido.

Mas com o passar do tempo, o Estado tomou para si essa função, como uma boa desculpa para exigir doações compulsórias dos cidadãos na forma de impostos, o que não deixa de ser uma forma de “roubo legal” quando a taxa média de impostos ultrapassa o que seria o razoável para manter uma estrutura mínima de governança.

A socialização da economia, incluindo aí serviços como saúde e educação, é um dos grandes responsáveis pela diminuição do ritmo de crescimento do mundo das últimas décadas.

Por que eu irei me esforçar para empreender e gerar valor se o Estado “garante” tudo pra mim? Ainda mais se terei que entregar mais de 50% do que eu produzo para esse mesmo Estado.

Com o tempo, o Estado vai ficando cada vez mais ineficiente e corrupto, com a sua máquina consumindo mais do que o benefício entregue para a sociedade. Talvez o Brasil seja o melhor exemplo disso.

Pior, o senso se caridade das pessoas vai desaparecendo, já que o sentimento é que você já fez a sua parte “doando” através dos impostos.

No final do processo, todos estarão pobres e dependentes de um Estado que consegue oferecer um nível de vida cada vez menor. É o caso de Cuba, Coréia do Norte e Venezuela, só para citar os países onde o socialismo foi implementado integralmente.

Outro resultado óbvio é a perda completa da liberdade. Se o Estado concentra todos os recursos, além do monopólio da violência, o indivíduo é esmagado.

Ou seja, o socialismo que seria o grande projeto “humanista” dos “líderes iluminados” acaba sendo o sistema mais diabólico inventado pelo homem, escravizando-os em nome de um futuro melhor que é simplesmente impossível.

Yes, we can be fooled!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.