Remorso

A turquesa pinta tua cor,
o dourado faz teus cabelos.
Teu semblante eu sei de cór 
em tantos sonhos que já os vejo.

A doçura inclina o olhar,
a beleza o faz felino.
Teus braços me fazem dançar
feito fogo e suor, ó bailarino.

Em minhas mãos despedacei
meu querido fruto vespertino.

Como se baixeza fosse lei,
cego em minha própria sordidez, 
faço em pedaços meu bailarino.