Desabrigados por conta das chuvas no estado de RS

Segundo a Defesa Civil, o município mais atingindo é Uruguaiana com 1.159 pessoas desalojadas

As chuvas intensas no Rio grande do Sul deixaram milhares de famílias desabrigadas. A região mais afetada no mês de maio, segundo a Defesa Civil, foi a Fronteira Oeste, onde foram registrados diversos municípios com alagamentos. Como os moradores de Uruguaiana, Dom Pedrito, Quaraí e Santana do Livramento, as mais afetadas no temporal.
No dia 27 de maio, às 17 horas, a Defesa Civil do estado registrou 48 cidades afetadas, 41 famílias desabrigadas, 175 famílias desalojadas e 5 situações de emergências. “No município de Arroio do Meio houve deslizamento de uma barreira no distrito de Palmas, onde a estrada foi interditada. Em Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos, 80 famílias foram desalojadas. A coordenadoria de Passo Fundo informou a queda de uma árvore da BR-285, em Mato Castelhano. Sananduva teve queda de granizo”, informação da Defesa Civil. 
Final do mês de maio a chuva continuou aumentando, e mais municípios ficaram com situações de emergências com famílias desabrigas e desalojadas, São Sebastian do Caí com 35 famílias desalojadas e 147 pessoas, Uruguaiana com 10 famílias, 42 pessoas desabrigadas e 54 famílias, 226 pessoas desalojadas.

Em junho, alguns rios entraram a nível de alerta, rio Caí, Sinos e Uruguai juntamente com os Municípios São Sebastian do Caí, São Leopoldo, Iraí, Itaqui, Porto Mauá, São Borja e Uruguaiana. Os níveis atuais dos rios e municípios aumentaram como em São Borja com 11,50m e no rio Uruguai de 13, 94m de água. 
No mês de junho, a chuva começou a diminuir, mas os alagamentos nos municípios mais afetados continuaram a fazer estragos. Os números subiram de pessoas, famílias desabrigados e desalojados. São eles: Uruguaiana com 68 famílias, 286 pessoas desabrigados e 305 famílias e 1.159 pessoas desalojadas, outros municípios estão no gráfico abaixo, com mais informações de pessoas, famílias desabrigados e desalojados. 
A Defesa Civil, registrou todas essas ocorrências nesses 2 meses de chuvas intensas no RS. Levando para locais seguros dentro das cidades afetadas que abrigaram milhares de pessoas e seus familiares.