[Fiz a Travessia] Larguei o emprego garantido numa multinacional para ser artista plástico

O entrevistado de hoje é Hugo Elias, da série “Fiz a Travessia”, um projeto para inspirar e incentivar pessoas a fazerem uma transição para serem mais felizes, satisfeitas e realizadas no trabalho e na vida.

Nome: Hugo Elias

Idade: 31
Antes: Analista de marketing em uma multinacional no setor de pesquisa de mercado

Hoje: Artista plástico / designer gráfico / tattoo designer

Lella Sá: Por que você faz o que você faz hoje?

Hugo Elias: Pelo prazer, pela satisfação e pelo desafio.

Lella Sá: Por que você decidiu sair da onde estava?

Hugo Elias: Já estava saturado do trabalho e era nítido que aquele não era meu lugar. Minha vida estava cada vez mais chata, estressante e sem sentido. Não me identificava com meu trabalho, com o ambiente de trabalho, com os valores da empresa e com o que eu estava construindo.

Lella Sá: Como fez essa mudança?

Hugo Elias: Tomei coragem e resolvi que precisava sair do meu trabalho e respirar novos ares. A primeira coisa foi compartilhar a decisão com minha mãe, minha grande companheira, que me apoiou desde o primeiro momento. A decisão já estava tomada, porém ainda precisava resolver algumas questões antes de anuncia-lá. Foi quando as divergências com minha chefe cresceram muito e então recebi o maior presente da minha vida: Fui demitido. Bingo.

Lella Sá: Quais foram os maiores desafios que passou para fazer essa transição?

O desafio foi não perceber que são infinitos os caminhos e as possibilidades que podemos escolher em nossas vidas. Depois que caí na real foi tudo mais fácil. No início deu um baita frio na barriga. Depois foi sensacional. No dia em que fui demitido sinto ter deixado para trás um peso enorme, que estava nas minhas costas e não tinha percebido.

Lella Sá: Como ficou a questão de grana em meio a incerteza?

Hugo Elias: Eu estava transbordando de felicidade. Me sentia livre. Não precisava voltar ao meu trabalho. O mundo de portas abertas. Era tudo oque eu tinha em mente. Era o momento de investir em mim. No que eu queria, com confiança. Então larguei tudo, cortei meus gastos e fui fazer um mochilão na América do Sul, sem roteiro, sem data de volta. Economizando eu tinha grana para estar parado por uns 2 anos. Porém em pouco mais de um ano eu já tinha torrado tudo. Investi em mim. Feliz da vida.

Lella Sá: Qual futuro você está ajudando a criar?

Hugo Elias: Busco cada vez mais estar presente e consciente da minha existência e da minha manifestação como indivíduo. Ter uma atitude verdadeira comigo mesmo é um grande despertar e uma grande escola. Ter coragem para reconhecer e aceitar o que está dentro de mim. Acredito que esse é um caminho para um presente e um futuro em harmonia comigo e com o todo.

Lella Sá: Que dicas você daria para quem quer ter um Trabalho com Significado?

Hum, essa pergunta é complicada, já que cada perfil de pessoa possui uma forma de pensar e seus desafios são tão distintos…

Pra mim a busca vale a pena. A aceitação é importante. A energia e a disposição são fundamentais. Estar em harmonia consigo mesmo, com suas vontades e ambições é essencial. Isso transformará muitas coisas dentro de você e muitos dos problemas que você imaginava, nem se quer existirão.

Estar bem, conhecer as dificuldades e diminuir os seus riscos. Sabendo que coisas boas também acontecem. Tem semente que demora para brotar e não é por isso que deixaremos de plantá-las. Bora acreditar!


Se você quer fazer a sua transição para um Trabalho com Significado, faça para do Programa Travessia.


Essa história foi útil para você?

Se sim, leia outras histórias e veja as ferramentas e dicas que vão te ajudar!

Se você gostou do texto, clique no ❤ aí embaixo. Fazendo isso, você ajuda essa história a ser encontrada por mais pessoas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lella Sa’s story.