#BBB17, a hora de ter EX-PARTICIPANTES

Todo o ano é a mesma história. Pouco tempo antes da estreia do Big Brother Brasil, surgem especulações sobre o retorno ao programa de alguns ex-participantes, a serem mesclados com novatos.

É interessante notar que esta demanda do público cativo do reality show tem cada vez menos a ver com a preferência por este ou aquele ex-queridinho. O esperado twist aponta para uma necessidade de mudança na dinâmica do jogo.

Se pensarmos que o retorno de ex-bbbs ocorreu em duas edições extremamente bem-sucedidas, a saber BBB10 e BBB13, com resultados interessantes para o movimento interno da casa, a pergunta é: por que não lançar mão dessa estratégia para alavancar a audiência do BBB17?

Falo agora em nome dos telespectadores que amam o BBB e se dedicam (sim, fazer muLLLtirões é para poucos): Em primeiro lugar, seria uma bela homenagem ao eterno apresentador do programa, Bial. Ele merece!

Ao mesmo tempo que ficaríamos presos à telinha, comentando muito, curiosos que estaríamos em ver como ex-participantes se comportariam com um novo apresentador, e este com eles; teríamos um conforto, uma lembrança positiva do que já acompanhamos. Não acho que, neste sentido, Bial seria uma sombra para Leifert. Ao contrário, a passagem seria mais suavizada, o programa sofreria menos rejeição do que começar do zero com: novo apresentador, nova casa, novas regras AND somente novos participantes.

Isso posto, penso que o que deveria mudar era a forma como os retornantes chegariam ao programa. Tanto no BBB10 quanto no BBB13, eles estavam lá desde o começo. Se, na primeira vez, a reintrodução de Dourado e Joseane pegou todo mundo de surpresa (inclusive, os próprios, que tiveram que rapidamente entender como deveriam se comportar, ou não); na segunda, houve muita especulação, entre o público (e imagino entre os próprios novatos, que já passaram pela cadeira elétrica sabendo o que ocorreria), uma vez que o twist foi anunciado com meses de antecedência.

Não sabemos o que esperar da estreia do BBB17 no próximo 23 de janeiro, uma segunda-feira, sendo que o reality geralmente foi lançado às terças. O disse-me-disse é de que haverá, neste dia, a tal passagem de Bial para Leifert.

De qualquer forma, não acho que este deveria ser o momento para a entrada de ex-bbbs. Creio mesmo que os novatos deveriam ter uma ou duas semanas de “adaptação” e “visibilidade” só deles. Um número reduzido de novatos, entre 10 ou 12, seria perfeito para que nos acostumássemos com eles e, acima de tudo, eles pudessem perceber, através do número parco de possibilidades, que todo o voto é importante, não deve ser desperdiçado com justificativas frouxas.

Neste sentido, acredito que os ex-bbbs poderiam entrar, na noite da segunda eliminação (ou na festa do dia seguinte, quarta-feira). Acredito que deveriam ser 6 ou 8 retornantes porque:

  • mesmo que entrassem com informações sobre os novatos, seriam muitos olhares diferentes sobre eles, muitas estratégias e possibilidades de alianças;
  • um número, mais ou menos, equivalente de novatos e retornantes tiraria o foco de um ou de outro grupo, fazendo com que eles se mesclassem (fico imaginando se eles fossem obrigados a formarem pares mistos!!!);
  • a variedade de participantes dividiria as torcidas organizadas e tornaria o programa menos previsível;
  • a casa começaria vazia, ficaria cheia de gente (= conflitos) e iria, aos poucos, novamente esvaziando.

Esses ex-participantes poderiam ficar confinados numa casa de vidro na segunda semana do programa, com votação aberta. O que evitaria que eles tivessem muitas informações sobre a dinâmica entre os novatos e, ao mesmo tempo, soaria menos com um “desespero” por corrigir eventuais deslizes na estreia com tudo novo.

Ainda que não fossem retornantes, espero que os percalços nas últimas edições (com as desistências de Tamires e Alan e a expulsão de Ana Paula) tenham ensinado à produção/direção do BBB que apenas 16 participantes deixa uma margem de risco muito grande para a conclusão do programa. E mais: que olhem com carinho e atenção para o que já fizeram e percebam que a introdução de participantes após a estreia (sejam veteranos ou novatos) sempre dá certo e ajudar a corrigir “erros” na escalação do elenco.

Só para citar, foi muito divertido ver as reações (rangeres de dentes) com as chegadas de: Maíra e André Cowboy (BBB9, na quinta semana), Aline e Júlia (BBB15, mesmo com poucas horas de diferença) e Dona Geralda e Matheus (BBB16, com menos de uma semana). Mas, isso já é assunto para um próximo post.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.