[Copo de leite]

Sobre os laços que aqui construímos.

Eu acredito na simplicidade. Nada contra o requinte ou o luxo, até gosto deles vez ou outra, mas é que a vida é coisa simples, a gente que complica tudo um pouco. Viver tem que ser simples, aliás o nosso principal papel aqui é simplificar.

Cresci em uma família de seis pessoas, o mais velho de dois irmãos. Ser o irmão ou o filho mais velho nem sempre é uma tarefa muito simples devido ao grau de responsabilidade que a nós é atribuído, normalmente nossos pais estão aprendendo a ser pais também, são inúmeros os pontos que implicam em ser o primeiro filho e irmão mais velho, contudo o assunto aqui é simplicidade.

Apesar de ser o irmão mais velho a diferença de idade entre mim e meu irmão do meio é mínima, apenas de um ano, ou seja, não tenho memória alguma de vida sem ele, o que é maravilhoso, pois o torna parte de mim e do que sou por completo.

Crescemos dividindo absolutamente tudo, brinquedos, alimentos, roupas, momentos e broncas. Me recordo que quando um aprontava, todos acabavam ouvindo. Hoje em dia nós nos perdemos em gargalhadas ao lembrar de alguns fatos.

Nunca nos faltou absolutamente nada, apesar de não termos quartos individuais, e usarmos as mesmas roupas, tínhamos conforto, estabilidade, alimento, amor, carinho, atenção e acompanhamento. Admiro muito meus pais, a dedicação, o amor e todo o empenho por eles á nós, sem sombra de dúvidas é um privilégio.

Criar três filhos não é uma tarefa nenhum pouco fácil, exige muito, eu não consigo nem imaginar o trabalho e a preocupação que isso gera, mas meus pais conseguiram.

Fomos criados na base da partilha, tudo era dividido, ninguém comia nada se o outro não comia também, ninguém ganhava algo se o outro não ganhava também. Dividíamos tudo e éramos felizes.

Partilhar me tornou um homem mais simples, mais consciente, preocupado com o próximo e pé no chão, fez a vida ficar simples.

Claro, obviamente sempre buscamos por mais, é importante, sonhamos e almejamos conquistar coisas, porém a simplicidade existe em nós.

Aprendemos que a vida é simples, que ás vezes tomar um copo de leite juntos pode ser a melhor das atividades na semana, que trocar roupas usadas é extremamente empolgante, e que o fundamental da vida não está no acumulo de bens e sim nos laços que criamos, é ter a certeza de que as coisas vão ficar bem, mesmo com orçamento apertado, vida corrida, vai ficar tudo bem, pois afinal existe em nós uma coisa simples e que dá significado a tudo que nos cerca: o laço afetivo.