[Sobre Estar]

São paulo, 26 de março.

Eu não sei bem como iniciar uma carta para você, o que é estranho pois começamos a nossa história escrevendo um para um outro, era parte de um sonho realizado, porém hoje eu já não sei mais o que lhe escrever. Sei que tenho milhares de coisas aqui em meu peito, coisas que ainda não são claras nem mesmo à mim para que eu possa compartilhar, mas elas existem, porém não é das coisas que estão em meu peito que quero lhe escrever. É sobre a presença que hoje preciso lhe falar. Dizem por ai, e eu acredito muito nesta frase que “o amor é uma companhia” e sim, a presença é o peito que abriga o amor. E eu não falo apenas da presença física, falo daquela que transcende a razão, daquela que foge da coerência, eu falo de nós.

Talvez seja esse o elo que nos une, que não nos solta e que nos empurra para um caminhar juntos, pois apesar de tudo nunca nos faltou a companhia um do outro.

A disponibilidade existe, e amar é estar disponível, e você bem sabe que eu estarei sempre aqui por você.

Agora irei,

Até mais.

O amor é uma companhia. Ja não sei andar só pelos caminhos, porque já não posso andar só.