VELOZ , POREM DANIFICADO

A roda dianteira esquerda estava danificada atrapalhando toda a dinâmica de movimento, mas a força de vontade em não desistir sempre se demonstrou forte nesse conglomerado metálico.

O local estava perfeitamente iluminado , luzes amarelas e um piso claro que as refletia , era algo moderno um desfecho de toda evolução racional, estava ali reunidos, várias necessidades tudo com uma perfeita polidez contemporânea e protagonizar tudo aquilo era mágico para ele com uma vida inteira para desfrutar, porem um pouco danificados por um acidente de percurso, mas aquele vigor juvenil permanecia.

O prazer de ser conduzido era inigualável pra ele, que mesmo danificado percebia que era valorizado e amado pelo seu senhor de alguns minutos, todo dia era uma gigantesca espera, ele ainda se relembra que quase não seria escolhido e continuaria ali isolado, mas por algum milagre moderno ele foi.
O prazer de ser preenchido era surreal, todo gigantesco vazio que havia dentro de si aos poucos ia sendo saciado a medida que percebia que estava em deslocamento , em alguns momentos ficava também parado ,mas mesmo assim não deixava de ser grandioso aquela sensação de estar sendo completado.

Certo momento passou um gigantesco tempo sem receber nada e a sensação de vazio passou a aumentar, mesmo com tudo que já havia o preenchido ele agora se sentia mais grandioso e com um espaço a mercê de um nada cada vez maior, tentou desviar o foco do pensando, pensar que estava ali vivenciado um pico de evolução de seus senhores , para ele tudo aquilo era motivo de honra ,tanta luz e piso refletor , tanta praticidade , se orgulhava de poder viver esse momento,ficava com esse pensamento cíclico para não se deprimir mais e mais.

Já estava em movimento novamente e agora muito feliz aguardava o próximo prazer. Foi vários seguidos, ele nunca havia se sentido assim ,provavelmente deveria agradecer a alguma família ou a alguma confraternização qualquer , mas sua mente metálica apenas tentava ao máximo maximizar tudo aquilo , eternizar aquele momento , mas era algo tão forte que se ia tão rápido que ele ficava confuso decidiu então apenas sentir , sentia-se que a partir daquele dia ia ser outro , pois nunca havia sentido tanto assim antes.

Sentia-se volátil, tanto que aos poucos foi perdendo conteúdo e o vazio tomava forma novamente, se pudesse gritar gritaria ,se pudesse fugir fugiria , mas ele era obediente por natureza corpórea e não podia sair dali, tudo que passou nesse dia maravilhoso agora se invertia , ele não apenas sentia-se mais vazio , mas também amputado , tudo que havia conquistado já havia se internalizando nele e agora era retirado bruscamente esse período de perda pareceu uma eternidade e nem um pensamento moderno poderia o salvar.

Estava sozinho novamente não se sentia completo e encarava-se agora a parte de tudo, as luzes se apagavam e a escuridão o abraçava e ele via toda felicidade construída apenas por momentos, falha, mas era impossível para ele fugir de tudo isso , sua alma era passageira e solidificada na persona moderna ele era fruto de toda velocidade com rodas um enorme vazio e superfície vazada, não havia escapatória , apenas esperar as luzes voltarem novamente e viver mais um dia de prazer ou de esquecimento.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.