Papel Gramado

Deus, muitos místicos e poetas não necessitam ir longe para vê-lo.
Nem sequer são dedicados a este encontro, pois rebentam um galho ressequido, movem pedrinhas de seu local, contemplam o verde relvado que preenche o terreno; Também inexiste curiosidade sobre enigmas divinos, pois, habitam estes enigmas e se apossam da rubrica divina em todo mínimo pedaço da amplidão do Cosmos.

Logo, conservam tudo nesse instante, visto que é utopia achar que existirá outro. Compreendem-se habitados em Deus e Deus habitado neles, até porque não existe distinto local onde qualquer dos dois conseguissem estar. Carece em nosso longo Universo, e até em milhões destes, algo tão esplêndido quanto você.
Fracassada é a tentativa de existência de algum super vilão ou herói de super mitologias de outrora que não seja você mesmo, igualmente não há qualquer deus que não admire a humanidade inteira. Conjuntamente, desconheço deus além deste que constantemente tem estado aqui mais perto de ti que seu exclusivo e inerente pulsar.

Lucidez irregular não me permite entender uma nuança de termos vasta o considerável para que eu descreva o que sinto no momento em que escrevo tais palavras. Palavras são unicamente as cascas de todo esse sentir, os rascunhos de uma eternidade, todas a pairar por planuras amplas como flores secas cheias do ar natural de tão esperado outono…

Tu, podes ler as rubricas?