Sobre a Bolsa de Diversidade da BrazilJS

É um fato que a maior parte dos profissionais no mercado de TI do Brasil hoje seguem um padrão: são em sua maioria homens, caucasianos, heterosexuais, cisgêneros.

Sim. Negar isso é ter problemas sérios em enxergar (ou aceitar) a realidade. E, essa realidade, seria uma questão menor se boa parte das pessoas “dominantes” no mercado não fossem muitas vezes hostis com quem não é como eles.

Não é incomum ver no mercado pessoas discriminando, fazendo piadas babacas ou xingando mulheres, negros, homosexuais, pessoas de origem mais humilde (ou diferente) ou religião diferente da dominante.

E isso é um problema. Um problema bem grave.

Visando incluir essas pessoas, a Bocoup fez durante a última CSS Conf americana uma coisa muito legal: ofereceu bolsas para pessoas simplesmente diferentes daquelas que são as dominantes do mercado de TI de lá (que é muito parecido com o nosso). Deu certo e eles resolveram fazer o mesmo emum evento brasileiro.

BrazilJS Conf 2015

A BrazilJS é a maior conferência sobre JavaScript do mundo (ou do Universo, como os organizadores gostam de repetir :P). Durante dois dias aproximadamente mil pessoas do Brasil inteiro se juntam em Porto Alegre a profissionais e personalidades de vários locais do planeta para falar sobre JavaScript, Web e seus assuntos satelites.

Pra quem curte, é sensacional. É uma oportunidade e tanto para aprender mais coisas, conhecer ferramentas novas, ampliar o networking, conviver com pessoas de realidades diferentes e se divertir muito. Eu sempre me divirto muito durante o BrazilJS.

Galera com o Brendam Eich (criador do JavaScript) na BrazilJS 2012

Mesmo nesse ambiente que deveria ser inclusivo problemas não deixam de existir. Já foram relatados alguns em edições anteriores da conferência. Sem contar que, apesar dos esforços da organização, é sempre bem complicado conseguir pessoas para o line-up de palestrantes que fujam daquele padrão de homem, caucasiano, etc. A organização, e a comunidade como um todo, estão ainda aprendendo a lidar com esses problemas, e essa edição da BrazilJS tem um código de conduta bem legal, por exemplo.

Pra ajudar nisso a Bocoup resolveu extender sua iniciativa de bolsas para a BrazilJS. Então, se você se enquadra de alguma forma num grupo que é sub-representado no mercado de TI brasileiro e, por consequência, nas conferencias por aqui, essa é uma grande oportunidade de ajudar a mudar isso e ainda ir à BrazilJS Conf 2015 de graça.

Sim, a bolsa cobre seu ingresso, passagem de ida e volta de qualquer lugar do Brasil para Porto Alegre e hospedagem durante toda a conferência.

Não tenha vergonha, a primeira coisa que eles se comprometem é a não divulgar que você é um bolsista, se você não quiser. Você não será constrangido.

Tornando o mercado brasileiro mais diverso

Até onde eu sei, essa é a primeira iniciativa desse gênero no Brasil. Estou na torcida que não seja a última e que em breve outras conferências e empresas entendam que diversidade no mercado é bom pra todos, inclusive pro próprio mercado.

Então conclamo a todos o profissionais de TI mulheres, transexuais, pobres, moradores de locais distantes, homosexuais, indigenas, negros, ou de qualquer outro grupo que eu não consiga lembrar de citar agora, à ir até esse formulário se aplicar para a bolsa. Pessoal da Bocoup tá super animado em ajudar todos os que eles puderem à estar em Porto Alegre nos dias 21 e 22 de agosto de 2015 junto com os melhores profissionais de JavaScript do Brasil.

Vai perder essa chance?

Gostei! Quero ajudar!

Pra começar, você pode divulgar a iniciativa para pessoas ou grupos que você tenha contato. E incentiva-las a se aplicarem para as bolsas. O link é esse aqui: http://braziljs.com.br/#diversity-scholarship

Se você tem dinheiro ou uma empresa, pode entrar em contato direto com a organização do evento, e com isso ajudar a bancar mais bolsas para mais pessoas (detalhes no link acima).

Como exemplo, a própria organização do BrazilJS doou ingressos para as participantes do RailsGirls Porto Alegre e deu ingressos com descontos para várias escolas.

Se você pode fazer algo assim, sua ajuda será MUITO bem-vinda.

E, se você for organizador de eventos de TI (seja de que linguagem ou comunidade for), tenha uma iniciativa parecida para seu evento. Um bom começo é instituir e fazer cumprir um código de conduta que não permita discriminação e constrangimento durante o evento.

Vamos ajudar a fazer das comunidades e eventos brasileiros e o nosso mercado de TI mais inclusivos e amigaveis para todos.

Último incentivo

Enfim, eu acredito (resalto que é minha opinião; apesar de ter amigos na organização do BrazilJS e na Bocoup, não ouvi isso de nenhum deles) que quando um evento como o BrazilJS instiui um código de conduta que restringe a atuação de gente babaca e ao mesmo tempo oferece bolsas para gente oprimida/excluída, a organização do evento diz que o grupo que não é bem-vindo é o dos babacas e que as pessoas legais, independente das suas origens, condições ou opções, serão recebidos de braços abertos.

Que nossas comunidades e mercado tenham mais gente como a organização do BrazilJS.

Se você é uma das pessoas legais subrepresentadas e precisa de ajuda pra participar do evento, entre em contato com eles. A comunidade global de JavaScript precisa de mais gente como você! :D

Aqui o link de novo, vai lá! O prazo é dia 22 de julho de 2015. Corre: https://bocoup.submittable.com/submit/44494

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.