As escolhas para a vida

Uma atividade que mais gosto de fazer é conversar com empreendedores em início de carreira, não sei se é pelo olhar ainda ingênuo em relação ao desconhecido, ou pela energia que contamina quando eles começam a apresentar sua ideia/projeto/empreendimento. É contagiante ver isso em uma sociedade com valores invertidos, mas sobre isso falo em outro texto.

A cada ano tenho essa oportunidade através do Programa Iniciativa Jovem, um programa que fomenta o empreendedorismo social, e apoia 80 empreendedores por ano a organizar melhor as ideias, colocar tudo no papel e transformar em um empreendimento de sucesso, fortalecido para enfrentar os desafios do mercado. Não é demagogia não, esse é o desafio do Programa, como fortalecer e criar bases sólidas o suficiente para que os empreendimentos não pereçam diante de um mercado cada vez mais agressivo? Vou responder essa pergunta, mas antes um pouco de contexto.

Eu montei minha primeira empresa em 1994, na garagem da casa do meu pai, na época com 21 anos, diante de várias dúvidas, eu tinha uma certeza, queria ter a minha empresa! Vale a pena lembrar que em 1994 o cenário era o seguinte:

Capa Revista TIME em 1994 — “Lançamento” da Internet
  • A internet era um mundo estranho e desconhecido;
  • Brasil vence a Copa do Mundo;
  • Perdemos alguns heróis nacionais, Ayrton Senna, Mussum e Tom Jobim Morre… :(, chega…
  • Na economia, a inflação foi de 916,4% :o
  • É criada a URV, que depois viraria o Real;
  • Fernando Henrique Cardoso assume a presidência.

E com esse cenário, e sem planejamento algum comecei minha vida empreendedora, ah e detalhe, na época não existia o empreendedorismo como hoje, você era empresário, e ponto. De lá pra cá a história é longa, mas vale o registro e o aprendizado além de muitas aventuras e decepções, até chegar a conclusão da pergunta que deixei aberta antes.

Para encarar os desafios do mercado não importa se sua ideia é incrível, se sua empresa é maravilhosa, se você está naquele espaço de co-working lindo, se seu sócio é seu melhor amigo, esquece isso, para responder a pergunta, trago um pensador contemporâneo, Rocky Balboa:

Então esse é o espírito, você precisa ter o comportamento empreendedor de aguentar as porradas que você vai tomar, é assim que se evolui, você apanha, cai, levanta, aprende com o erro e segue em frente, ou seja, se você quer saber se vai ter sucesso no seu empreendimento, conheça a si mesmo, e avalie quantas coisas você começa e não termina, pois esse comportamento é que você vai levar para a sua vida.

Então, sobre as escolhas para a sua vida, tanto profissionais, quando pessoais considere essa variável, sem aquele cliché de que amo o que faço, mas com muita seriedade na reflexão sobre se é isso mesmo que você quer fazer para a sua vida, e o quanto você consegue avaliar e mudar para se adaptar aos desafios.

Sucesso!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leo Filardi’s story.