pensamento

Num dia desses, sem pretensão, eu me peguei pensando em você.

Eu estava lendo uma revista distribuída em um cinema tradicional. Com um ar soberbo e dotado de referências, uma das matérias falava sobre as paixões, as interpretações e vertentes entre o cinema e o amor. Quando me dei conta, esbocei um riso espontâneo.

Tarde demais, já estava pensando em você.

Pensando no dia em que vi seu sorriso pela primeira vez.

Pensando nos momentos em que suas mãos leves e macias tocaram as minhas.

Pensando nos seus olhos, que me hipnotizam quando te vejo perdido por aí.

Pensando nas explicações em meio às conversas sobre qualquer coisa.

Pensando e esperando o momento em que as coisas vão dar certo entre nós. Quando, enfim, você vai ouvir 5 a seco e perceber que o que falta em você sou eu.

Esperando pelo dia em que as minhas opiniões imaturas e o meu jeito desleixado de ser virem incentivo para um beijo fofo no meio da tarde.

Tenha medo de me deixar confuso, de me fazer desistir, de me deixar acreditar em algo sem sentido.

Mas não tenha nem uma mísera e singela gota de medo de dizer coisas banais perto de mim, nem de mandar aquela playlist ótima sobre o mood do seu dia. Não tenha medo de me abraçar ou rir alto do meu lado, menos ainda de me dispensar porque precisa ficar sozinho.

Só te peço que pense um pouco e tente enxergar um pouco além… tente pensar.