Não há como questionar fatos mas há como questionar a gênese desses fatores

Tava vendo certos estudos sobre diferenças de gênero, e me veio à mente que diante de tal situação muitos militantes tentam negar o óbvio, falando que estatísticas mostradas em estudos são falaciosas e que não existem diferenças entre homens e mulheres, entretanto promover essa postura negacionista é atacar o problema pela via errada.

Não há como contestar um fato, em qualquer estudo que você fizer você verá que estatisticamente, homens e mulheres se comportam, tem gostos e interesses diferentes, no outro lado da moeda temos pessoas que insistem em afirmar que tais dados comprovam as diferenças intrínseca entre homens e mulheres, bom, não negamos a diferença porém ressaltamos que esse fenômeno muito provavelmente não se deve ao fato dos indivíduos serem homens ou mulheres, mas a socialização de gênero que cada um desses indivíduos recebe, é muito fácil os homens por exemplo serem muito mais engajados sexualmente quando isso é extremamente estimulado em sua socialização, é muito mais fácil meninas serem mais tímidas para iniciar uma paquera quando são tachadas de assanhadas e promíscuas quando iniciam tal empreitada.

Diferenças de gênero existem, é um fato, não se trata de nega-los, uma militância seria não os nega, no entanto, é interessante promovermos um questionamento, se esses fatos são naturais ou construídos, porque a massa quando se depara com esse tipo de informação tem a tendência de interpreta-lá de modo a reforçar a crença de que há diferenças essenciais e imutáveis entre homens e mulheres, essas noções infelizmente tem impacto em como a sociedade enxerga o gênero.

Temos que plantar o questionamento na sociedade, para desnaturalizamos as compreensões de gênero. Diante disso, é relevante ressaltar que a contestação dessa situação não deve se dar em negação aos fatos, nem devemos toma certos dados estatísticos como a verdade da essência de homens e mulheres, devemos questionar a gênese desses fatores . Até porque o negacionismo se mostram bastante frágil diante das estatísticas sobre violência e comportamentos das pessoas , também o negacionismo não vai a raiz do problema, não questiona as bases da questão, o problema fica em um abstrato .

Em uma página na internet por exemplo negava a afirmação de que meninas amadurecem mais rápido que meninos, falando que não existem diferença de gênero, mas em qualquer estudo que se realizar, essa afirmação cairá por terra, ao contrário, quem toma certos dados como verdades sobre as diferenças de gênero, ajuda a reforçar as compressões que condicionam pessoas a certas espectativas quem servem como justificativa a violência de gênero .

Por isso é importante não ignoramos o fatos e questionar a gênese por trás dos fatores .

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.