Para não entender?

Esse, isso, reza:
 guerra por uma dose de petróleo.
 Come, zune, enxuga:
 saúde em toalhas de monóxido.
 
 Luta e atua como seus mísseis de ilusões.
 Suas grades, inocentes,
 cadeia lares. 
 
 Carros sanitários,
 gaiolas de insetos.
 Ônibus azuis,
 no começo de um ano velho.
 Suspiros para seu novo chulo…
 
 Palavras fúteis pra criar
 rimas remoídas
 loucuras críticas ou apenas

a surrealização da minha literatura

Leonardo Miranda
 Janeiro 2009