Medo

A antítese que atrai

Tenho medo. Tenho medo de ser eu. Tenho medo também de não ser eu. Paradoxo. Tenho medo de ter medo e de não tê-lo: ou me perco em meio a devaneios sem nexo ou a confiança excessiva pode abrir uma fenda em meu solo.

Tenho medo de não amar. De me tornar um eremita sem rumo, sem propósito. Tenho medo de amar. De doar corpo e alma, de perder meu significado, de não saber lidar com a perfeição do amor.

O medo não é real. O medo se torna real. A realidade teme a fantasia e a fantasia teme tornar-se trivialidade lógica… assim como a lógica e a razão têm medo de caírem no abismo dos sentimentos que não se importam com a precisão monótona dos fatos.

Não é medo, é antítese. Paradoxo. Dúvida. Sombra. Temor.

Não é medo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.