Chatbots e o futuro do Social Media

Robot by svofski

Chatbots não são nada mais que robôs de conversação, eles não são necessariamente novos, a própria Eliza foi criado em 1966 no MIT e é considerada o primeiro chatbot (robô de conversação) feito. O que propiciou o hype dos chatbots recentemente foi em partes os avanços em Inteligência Artificial, mas principalmente o enorme número de pessoas presentes nas plataformas de mensagens.

Os aplicativos de mensagem já tem maior número de usuários hoje do que as próprias redes sociais, o engajamento com os aplicativos de mensagens também é maior, dado que é um espaço hoje reservado apenas para amigos e conhecidos. Com uma base grande de usuários e alto grau de engajamento é esperado que essas empresas tentem monetizar isso de alguma forma e os chatbots parecem ser a resposta.

O futuro e onde estamos

Vendas por aplicativos de mensagem já são realidade há algum tempo, com o advento de I.A. essa atividade poderá ser feita de forma mais escalável e ainda assim oferecer uma experiência de compra melhor. São as redes sociais apontando para conseguir vender em seus domínios, algo que já tentaram fazer antes.

Josh Felise

Enquanto os avanços em I.A. não permitem que isso seja possível os chatbots funcionam hoje como URA (Unidade de resposta audível) aonde são dadas opções fechadas e o usuário interage escolhendo essas opções. Mesmo neste cenário já é possível fazer diversas ações interessantes.

A promoção do lançamento do jogo Call Of Duty: Infinite Warfares, por exemplo, foi feita com um chatbot onde era possível conversar com um dos personagens do jogo e a recompensa de juntar as pistas era um link para o trailler do jogo, essa campanha teve mais de 6 milhões de chats gerando conhecimento sobre o lançamento.

O aplicativo kik tem uma loja de bots aonde você pode achar diversos bots como o da H&M aonde ele tenta descobrir o seu estilo e oferece sugestões de peças e acessórios. Porém a experiência de compra em opções fechadas é acaba sendo menos fluída do que em um site de compras.

Interface do Chatbot da H&M

Por ser uma área relativamente nova os primeiros chatbots em geral demonstraram-se um primitivos, porém é um meio novo que merece atenção devido à ausência de barreira de entrada e a oportunidade de mais um ponto de contato com o consumidor, entre interfaces rígidas e complexas parece estar o caminho certo para um chatbot de sucesso e isso tudo envolve muita análise, algo que estamos habituados aqui na DP6.

Você já teve alguma experiência com os chatbots? O que você acha deles?
Deixe suas opiniões nos comentários, eu mesmo respondo!

Para saber mais um bom lugar para procurar é a Chatbots Magazine.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leonardo’s story.