#passado Compilação 1

Leo Nunes
Leo Nunes
Aug 6 · 2 min read

A praça mete medo. É escuro, noite, orvalho. Só se ouvem os sons dos sussurros. Corre, eles vêm.

Me perdi na leitura daquele livro que você me indicou. Troquei as mãos, levei aos olhos um saber novo, pouco concebido. Estranho conceito. Ainda lembra de mim?

Essa é a vontade de todos os dias. Apagar a existência da morte com fogo. Nada há de superar a pureza da eternidade nula. Morte ao capital.

Eu caminho sobre a noite. Quero a falta que só você me traz. Vem, vem sentir o calor do escuro.

É mar de sombra e dúvida. Vovó Cambinda me contou outro dia sobre necessidade de se trabalhar por amor. Chove feito aquela noite de sonho. Lembre de mim.

É um jardim secreto no meio da floresta. É a escolha de olhar para dentro e achar comida. Eu ainda percebo a cor das memórias, teu cheiro não é mais de jasmim. No fim da noite ouço seu sussurro e me espanto, é mar.

Escrevi seu nome na parede para marcar meu território. É cimento queimado em terra funda, mangue de saberes. Sei, sei que um dia hei de voltar.

Leo Nunes

Written by

Leo Nunes

biologicamente vulnerável às terças

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade