É claro que eu não te amo!

Se eu seguro todos os seus medos em minhas mãos e permaneço contigo durante o entardecer, ao cair da luz e espero raiar o dia que é pro escuro não te assustar, não significa que eu te amo!

Se eu faço charme quando vai embora e te imploro, fica! Quando perdoo tua loucura, teu cigarro e os cortes que me faz porque você corre aflito pra que eu não sangre, porque tua tentativa de permanecer sério enquanto eu, furiosa, esbravejo incansável, até tornar-se insuportável não envolver seu corpo no meu, súbita. Nada disso é porque te amo!

Eu não te amo quando acordo de madrugada pra te contar daquele sonho estranho que acabei de ter e lembrar que o tempo é meu inimigo e não te traz logo pra cessar essa agonia que é você aí, eu aqui e nesse intervalo a cruel distância que nos crucifica!

Quando reverencio a tua constância e te admiro sereno, quando aceito tuas dúvidas e o seu sentir sem nome, quando acima de tudo, fico! Ao arrancar tua dor e dizer que é meu também o teu sofrer, que não existe mais medo pra ofuscar tua beleza e o outro lado da cama te espera pra que todos os lados sejam nossos, é claro que não te amo!

Se meus olhos te beijam muito antes da minha boca te encontrar, eu não te amo. Eu apenas guardo isso tudo, quietinho, quentinho dentro de mim, porque me disseram um dia desses que não posso te amar sem que você tenha certeza.E é por isso que eu, eu não te amo!