Quando a gente está se envolvendo?

Uma vez, eu li um texto de um escritor chamado "Gabito Nunes" em que ele abordava a partir de que momento nós estamos nos envolvendo. Meses depois ele excluiu o blog e eu nunca mais tive acesso ao texto, porém uma frase ficou para sempre na minha cabeça: "A gente está se envolvendo quando enrosca os pés sem meia?".

Como é que a gente sabe quando isso está acontecendo? À partir de que momento é sentimento? Em que ponto o outro se torna importante para nós?

instagram: @rafapaparella

A gente está se envolvendo quando pega no sono no meio do seriado enquanto o outro ri? Ou quando a gente diz que não vai passar a noite, se enfia no meio do abraço e acorda só no dia seguinte? É no meio de uma viagem em que a estrada é só neblina e o para-brisa mal funciona? Ou, no meio da madrugada em que a gente fica pensando em todos os próximos mares que mergulharemos juntos? Quando que essa certeza acontece?

Talvez seja naquele instante em que a gente percebe a pessoa se mexendo com cautela para não nos acordar. Ou talvez no dia em que ficamos ansiosos com o resultado de uma prova que o outro fez. Ou com a entrevista de emprego. Ou com a reunião decisiva. Ou com qualquer sonho ou plano que foi dividido conosco e a gente torce pra dar certo só por querer ver o outro feliz. É assim?

A gente está se envolvendo quando admite, proposital ou acidentalmente , que sim — talvez haja sim — a possibilidade de estarmos nos apaixonando? Quando sente falta da conversa? Ou quando dividimos a parte dolorida que existe dentro de nós?

Já é sentimento quando a gente não sabe o que está acontecendo, mas sente lá no fundo que quer a presença do outro na nossa vida?

Não sei a partir de que momento a gente já está se envolvendo, o ponto exato em que já estamos amando ou quando o outro se torna necessário e importante para nós. As coisas se desenrolam de um jeito diferente para cada um e, embora todos nós sejamos feitos da mesma carne, os sentimentos nunca se instalam da mesma maneira para todo mundo.

Só sei que, ontem a noite, você virou de barriga para cima e eu não consegui acordar o suficiente para mexer o meu corpo e te abraçar de volta. Então, eu arrastei o meu pé e encostei no teu.

Letícia Cardoso