Morte Vida Morte

O pulso incessante em tudo.

Nascer, florescer, morrer.

Às vezes, renascer.

Às vezes, transmutar.

Às vezes, enterrar para ver o novo em outro lugar.

Transformar-se. Transitar. Mergulhar para reemergir.

Saber esperar.

Semente. Germinar. Morrer. Arar. Fertilizar. Cultivar. Semente.

Não fugir da dor da perda, da morte, da despedida, do fim.

Abraçá-la. Honrá-la. Amá-la.

Agradecer as boas memórias que são a lenha da saudade.

Mas não se agarrar demasiadamente a elas.

Para deixar morrer o que está morto. E receber o porvir.

Dizem por aí que ando mais tranquila.

Foi reconhecer a morte, mas do que tudo, que me acalmou.