Recomeçar

Uma nova página, tanto branco.

Vivo a delícia da novidade e o frio na barriga das estreias.

Dentro, antecipação. Fora, listas de tarefas a cumprir, além do habitual.

Ergo o livro com minha história. Já está bem pesadinho. Conto as páginas anteriores para aguentar o tranco.

Uso de todo o conhecimento, magia e oração. Respiro fundo, ouso com temperança, sou econômica no que é desnecessário.

O rio da vida corre, veloz e límpido.

Bebo destas águas com gratidão.

Sinto a borda do casulo prestes a rebentar. Aguardo paciente, sabendo que ainda não é a hora de ser borboleta.

Mas em breve.

Grávida do meu futuro, balanço-me na rede do destino, pés descalços.