Guerras internas

Você conhece cada cantinho dessa casa, você vasculha, procura, percorre minhas artérias e conhece de cor a linha que liga você ao meu coração. Teu nome ecoa no vão do meu peito quando você aqui não está. E você não está.
E sem você tudo se perde, se complica, se destorce. Me sinto presa nesse marasmo em mim mesma; quanto mais preenchida de não-amores, mais vazia fico.

Mas você vem e transborda em minhas entranhas, percorre cada canto pra ver se está tudo bem, se o muro feito de você ainda está me rodiando e aguentando essas constantes guerras internas que surgem com a percepção da sua falta.
E então você vai embora, de novo. E nesse leva e trás eu já sobrevivi tantas guerras; a maioria delas você nem estava aqui para ver…

Mas ah se você chegasse em perfeita harmônia com os efeitos sonoros que meu coração reproduz quando vejo esses teus olhos cor de tudo... Se tu visse, meu amor, não partiria nunca.

Nunca.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.