A astróloga que disse para eu escrever

É claro que o primeiro post do meu blog seria sobre astrologia, afinal, a própria descrição dele já indica que muito do que falo é baseado nisso.

Me considero uma entusiasta, apenas. Uma curiosinha (como boa geminiana). Entrei nessa onda de astrologia há uns dois anos e continuei nela, mas é claro que ficaria, afinal, tudo faz muito sentido (ascendente em peixes que adora um misticismo).

Tanto faz que semana passada fui em uma astróloga. Na minha cabeça deveria ser uma astróloga pica das galáxias, considerando que o preço da consulta era quase 25% do meu salário.

Pois bem, cheguei lá e ouvi mais do mesmo. Eu como boa autodidata já fucei todos os sites possíveis e imagináveis sobre o tema, e já devo ter feito aproximadamente 157 sinastrias, uma com cada crush que tive nos últimos anos. Mas uma coisa que ela me disse, que me pegou bem desprevenida, foi que eu tinha que escrever. Mas não era tipo "escreva à mão para não perder o costume", era "escreva histórias, escreva relatos, use sua imaginação". É claro que na hora falei "QUE?", porque eu sempre achei que escrevia muito mal (mesmo sendo formada em jornalismo, o que não quer dizer muita coisa). Eu sei escrever cartas de amor muito bem, crônicas eu amo, mas agora histórias? Relatos?

Então esse é um breve relato de como cheguei aqui. Já que os astros disseram que eu tenho o dom da escrita, vam ve né? Mas não prometo nada. Dificilmente termino as coisas que começo; Esse ano já comecei a bordar, fazer academia, meditar (mais uma recomendação astrológica), fazer hot yoga, me alongar, parar de beber, mas nenhuma dessas coisas eu terminei.

Por isso, "caro leitor", não espere muito, mas também não desista de mim. Vou começar postando uns textos antigos para vocês verem como eu era ruim, aí quem sabe depois, com os atuais, vocês vão falar: "po, até que ela melhorou".

Xau.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.