Auto-Imersão

Meu nome é Letícia, eu tenho 24 anos, sou de Osasco/São Paulo, me formei no final do ano passado em Direito pela Universidade São Judas.

Essa sou eu com a minha família do dia da minha formatura.

Pra falar da minha história, eu preciso falar da minha família. Eu sou filha de pais professores e tenho dois irmãos, então educação e colaboração sempre foram valores fortes dentro de casa, isso me ensinou muita disciplina, e me fez apaixonada por esportes coletivos!

Foi com essa estrutura que eu conquistei minhas bolsas acadêmicas e aprendi, através do esporte, a ser resiliente.

Atualmente, eu trabalho no Banco Bradesco, uma das maiores instituições financeiras do país, onde eu iniciei com um estágio generalista em ações judiciais em que o Banco era autor da demanda, com o objetivo de recuperar créditos, fui assistente jurídica na área cível, em ações contrárias ao Banco com o objetivo de conter prejuízos e hoje, sou advogada, convidada a fazer parte da equipe de Compliance!

Durante a minha graduação, eu fui paralelamente selecionada pelo DEF-USP a fazer parte de um grupo de estudos sobre Direito e subdesenvolvimento, tratando da formação do Brasil, sentidos e projetos. Um experiência que eu considero enriquecedora! Se eu tivesse oportunidade hoje, teria me dedicado mais a grupos desse tipo durante minha graduação.

Uma curiosidade sobre mim é que no primeiro ano da faculdade eu tinha o sonho de ir a um show de uma artista internacional, e vi nisso, na vinda dela ao Brasil, uma oportunidade de mercado. Abri uma loja online onde eu desenvolvia designs para impressão, e consegui atingir meu objetivo de arrecadar o valor necessário para os custos do show em 3 meses.

Depois disso eu passei a me dedicar a projetos acadêmicos, escrevi alguns artigos e participei da elaboração de um site voltado a desburocratização de procedimentos da vida cidadã, chamado “enciclopédia da cidadania”, participei também de um torneio judicial, em que conquistei o vice campeonato junto com a minha equipe, e no final da minha graduação, devido ao meu desempenho acadêmico recebi uma menção honrosa, o prêmio para melhores alunos da universidade.

Eu escolhi o direito bastante cedo, acho que antes mesmo de saber o que era o curso. Eu amava ler, tinha boas notas e amava ser conciliadora das situações. Existia em mim um interesse genuíno em explicar as coisas e fazer diplomacia, então, logo quando nova, meus pais e meus familiares já diziam que eu era a “advogada da família”.

Logo que eu pesquisei, fiz testes vocacionais, eu me apaixonei pela profissão, já aplicava muito dos valores no meu dia-a-dia, e era bastante natural pra mim. A injustiça sempre me incomodou. E foi assim que eu decidi, definitivamente, que eu queria ser advogada, que eu gostava de estudar sobre isso, sentar e criar soluções, buscas inovações em casos difíceis, vi que eu me envolvia com as diferentes histórias, e que de fato eu gostaria de auxiliar e ser parte de algo maior no mundo! Esse é o meu propósito, e como gostaria de ser lembrada: como alguém que mudou vidas positivamente, através do seu trabalho como uma grande executiva.

Um dos desenhos que iniciei naquelas férias!

Meus amigos e familiares costumam me descrever como uma pessoa muito inteligente, dedicada, esforçada… Eu diria que sou entusiasmada. Isso me move.

Certa vez, em um período de férias, eu vi pelo Facebook um vídeo de desenhos realistas. Eu fiquei encantada com aquilo e decidi que ia aprender a desenhar. No dia seguinte, eu resolvi comprar um curso online. Fiz o curso durante as férias, e no final dela eu estava recebendo encomendas dos meus familiares e amigos de desenhos pra fazer, e tentando ensiná-los as técnicas. Eu acho que esse episódio resume bem algumas das minhas características, entre elas, o entusiasmo (que considero a principal). Acredito que não há nada que eu não seja capaz de aprender se eu me propuser a fazer!

Um dos meus hobbies, ou o principal, é ler artigos de diversidade, empoderamento feminino, liderança feminina, e entre outros derivações disso. É o assunto que mais me pego pesquisando, e posso dizer que leio algo sobre isso todos os dias!

A minha visão hoje de momento marcante e de maior transformação que eu vivi, tem sido esse ano posterior a conclusão da faculdade. Isso porque saí da graduação cheia de certezas, e a vida fora do ambiente acadêmico se demonstrou completamente diferente do que eu imaginei. Foi então que surgiram milhões de dúvidas e indecisões, e me vi forçada a me jogar numa jornada sobre autoconhecimento, do que eu tenho feito, como estou e como quero estar daqui há 5, 10 anos… Usei esse ano para uma auto-imersão, o que acabou se tornando a melhor coisa que poderia ter me acontecido. Aprendi muito sobre mim mesma, meus objetivos, a minha linha do tempo de onde vim-onde quero estar, e foi então que resolvi buscar o processo de trainee. Foi onde eu conclui que gostaria de fazer parte de uma grande empresa em que eu pudesse alcançar aquele meu propósito (de fazer parte de algo maior no mundo).

Eu escolhi a J&J porque a empresa que se aproxima do meu propósito de vida. É um meio em que eu poderia tocar a vida de bilhões de pessoas através da sua saúde e bem-estar. Eu quero estar em um lugar de oportunidades, onde eu possa ter voz ativa para mover o mundo e inovar, impactando positivamente os trabalhos da companhia, e tocando também ambientes sociais por onde passamos, deixando nossa marca. Trazer alegria, momentos felizes dentro dos lares das famílias brasileiras. Eu gostaria que esse fosse o meu legado.

E é por isso que eu gostaria de estar do lado da J&J nessa linda jornada.

Att.,