Aquele casaquinho

Se você é como eu, e tem o problema de comprar muitas roupas, talvez se identifique com isso. Meu armário é cheio, mas isso não é positivo. Para mim todas as peças que estão ali são essenciais, que na verdade é uma visão falsa sobre várias peças que eu não uso mais.

Vou contar essa história de uma forma mais ilustrada: eu tinha um casaco, que comprei a uns 3 anos atrás. Na época ele era uma graça, meio folk, colorido em tons pastéis. Nos últimos tempos ele estava no armário basicamente de enfeite, porque eu não usava mais, mas a sensação de ter era muito cômoda. Aquele casaco estava ali, era uma representação física de boas lembranças de 2014, e se eu quisesse usar de novo era só vestir. O ponto é exatamente essa sensação de segurança.

Um emprego fixo, um relacionamento amoroso estável, amigos de infância, uma casa para voltar no fim do dia. É sobre segurança. Nós queremos ter certeza que aquele casaco antigo está no armário quando quisermos usar. Nós queremos nos sentir seguros, todo dia.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.