Admissão

admito que não sou capaz de maldades de crueldades de machucar nada ou ninguém (mas adoro fingir que sou)

admito que não sou inteligente ou criativo ou genial ou nada do tipo (mas adoro fingir que sou)

admito que sinto falta de todos os meus amigos e de conversar com vocês e de estar por perto e fazer besteira (mas adoro fingir que estou muito bem só)

admito que gosto quando lembram de mim e falam de mim pelos cantos e quando notam minha ausência (mas adoro fingir que não ligo)

admito que ainda queria viver muita coisa e conhecer muita coisa e ver muita gente e sentir vários sentimentos (mas adoro o conforto da minha caminha)

admito que as vezes tento eu juro que tento e continuo tentando (e vou continuar tentando)

mas admito que sou frágil sou mole sou triste qualquer coisa me acaba (mas adoro fingir que me recomponho fácil)

adoro fingir. adoro atuar

por último admito que adorei beijar várias bocas e ser envolvidos em outros abraços e provar diferentes maneiras de amar

(mas trocaria tudo isso por alguém que

de verdade

gostasse de mim).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.