Nosso condicionamento — Parte 3

Muitas pessoas são ridículas e acreditam que são amadas pelos outros. Uma pessoa que é desagradável e acha que é agradável teve seu primeiro dia em que ela repetiu para si mesma que era agradável, teve o segundo dia e assim foi…. Hoje esta pessoa sem humildade é detestada por várias pessoas, mas não consegue perceber isto porque ela enxerga o que o condicionamento dela permite que ela enxergue.

Existem pessoas que têm um sentimento de inferioridade dentro delas e condicionaram a falar muito, a contar piadas, como se isso fosse protegê-las de suas fraquezas. O pior que todos falam que a pessoa é chata e a própria pessoa não percebe. Fingem achar graça em piadas idiotas e a pessoa continua fazendo o papel ridículo.

Há alguns anos, recebi um paciente que levava tudo na brincadeira, mas sempre estava endividado, no cheque especial, cartão de crédito, devendo dinheiro para amigos. Este paciente tinha raiva de sua infância que foi pobre, tinha raiva de seus pais por não terem tido condições de dar a ele brinquedos caros. Como ele não perdoou a si mesmo e a situação econômica da família; ficou condicionado a comprar tudo que fosse lançamento tecnológico, tudo que mostrasse status. Ele estava cavando um buraco para si próprio por não aceitar seu passado e por não saber perdoar. Isso parece ridículo, mas é a pura verdade. O dia em que ele acordou e percebeu a bola de neve que ele estava dentro, começou a chorar, se arrependeu e perdoou a ele e a todos dentro de seu coração. Virou uma outra pessoa sem dívidas e feliz. Antes ele vivia para mostrar aos amigos que ele tinha coisas caras, hoje ele vive para provar para si mesmo que tudo isto é ilusão e que a vida é o bem mais caro e precioso que alguém pode ter. Quem vive a vaidade, afasta-se de Deus e conseqüentemente do sucesso, da paz e da felicidade.

É importante lembrarmos que viver em função dos outros para ostentar um estilo de vida ou qualquer outra situação, só traz prejuízo, humilhação e dívidas.