minhas conexões neurais acontecem mais rápido que a velocidade da luz 
em consequência disso, meu cérebro se ilumina, achando que é capaz de
tornar-se totalmente claro; e se isso (quem dera) acontecesse inopitamente 
deparar-me-ia com o fim de mim 
aniquilamento de minha vida, finalmente!
e questiono-me quem seria o salvador desta barbárie, se com o resgate fosse cobrado a luz d’outro.

aquilo e aquele que entra no vão do papel e da caneta está condenado perpetuamente a eternizar-se de modo inato
e ilógico
em um lugar onde só nós, loucos compulsivos têm direito a entrada 
para debater assuntos como o existencialismo e a ironia 
presa junto ao nosso ser
colada em nossa retina, notável em nossa fala, admirada e também
invejada por aquele que se considera são
e imbecil
mais que nós, poetas loucos, olhando fixamente para o vazio do seu olhar e do seu corpo.