A Sina Da Sereia

Tem dias que nos exigem mais sentimentos,

EU SOU… eu sou o que eu tenho, eu sou o que fiz, eu sou o que vivi, eu sou o que me cerca, eu… eu… eu… eu não sou nada além de um resto mórbido de tudo que é imprevisível, de tudo que é mutável.

A minha sina é não ser nada. Não ser homem, não ser peixe.

EU NÃO SOU…

E ainda há quem diga que quem não é nada, não é ninguém.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.