NÃO TIREM SEUS LIVROS DO LUGAR

Eu queria escrever alguma coisa, mas o facebook não deixa. Queria dar brados de revolução mas tenho passado os meus dias preso em casa. Queria ser dono, não de muito, da minha vida ao menos, mas tenho entregado-a nas mãos do destino e o destino tem entregado nas mãos da rotina. Eu queria voltar a acreditar no bem que existe nas pessoas, mas só há medo e mentira onde quer eu olhe. Queria mesmo não ter medo do futuro mas o presente fica mais assustador conforme o tempo passa.

Queria desaprender algumas coisas, evoluir regredindo, aprender desaprendendo e enxergar sem ter visto. Queria acreditar que sou só eu e mais que tudo queria acreditar de o porquê de todos irem tão longe é porque a fase é finita.

Há tanto tempo criou-se em minha cabeça a imagem e sensação de um caos vivo, uma bagunça em movimentos tão grandes e tão difíceis de se arrumar que na maior parte do tempo eu me sento e olho incapaz de fazer qualquer coisa a respeito. Não há ajuda para chegar, ninguém restou, estão todos afogados em seus próprios caos.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.