B R I — LÉÔ

É que a lua sempre me acompanha e naquela noite ela estava com vestido de gala, conforme a situação pedia. Só ela e eu ouvimos. Só eu senti. A ela coube apenas registrar. Aquilo que eu não esperava ouvir. Aquilo que me deixou sem ar. Eu só queria me afogar de tanto beijar. Eu só queria poder ter e conseguir o que falar. É que no meio de tanta euforia, queria um momento eterno. E a lua a observar. De cima para baixo, o que ela viu foi o mesmo que eu: quem de nós três estava realmente linda e reluzia um brilho sereno que fechava parcialmente meus olhos e me deixava com cara de bobo. Perfeita, tenho medo de quando eu não for. Sorria em te olhar não olhando para mim, apaixonada, por vergonha. É que tudo você bagunçou. Só peço que venha me ver mais, porque me faz sentir mais. Sem ter que partir. Rápido, não demais. Sem falsa, mas precipitada. Promessa. Um dia você vai. Vai, sem ter que te convencer. Você sabia a minha vez de falar. Amor, à minha. Caberá ao eterno lhe dar. De resto, deixa para mim dar a lua para cuidar… do nosso briléô.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.