Eu não sei o que fazer (texto II)

Ou: porque esquecer você, pra mim, é como se alguém tivesse morrido.

Esse, com certeza, é só mais um texto de um coração partido. Mas esse não é um texto qualquer. É o meu texto, meu soluço abafado pelo travesseiro, meu grito de dor sufocado na garganta, meu medo de ser obrigada a te esquecer.

Não foram poucos os anos em que te amei — de fato, continuo amando. E esses tantos anos trouxeram para mim uma experiência que nunca achei que conseguiria viver: a do amor puro. Sabe aquela velha história, aquela frase clichê creditada ao John Lennon, que diz algo como “se ama, deixe partir”?

Eu deixei você partir, não porque não te amasse, mas justamente porque te amava demais. Eu deixei você partir porque eu sabia, lá no fundo, que era a coisa certa a se fazer. Não porque eu sou a rainha do altruísmo, mas porque eu sabia que era o que ia te fazer bem, o que ia trazer paz para esse seu coração afogado em escuridão. E você ficando bem, eu estava bem. Como eu disse naquele e-mail: comigo ou sem mim, […] a única coisa que eu quero é que você encontre a paz, a tranquilidade e a felicidade.

Mas… o que fazer quando você deixa ir e isso é jogado pela janela? Como lidar com a raiva, com a tristeza, com a dor? Como lidar com a frustração de sentir-se, você mesma, sendo arremessada na lata de lixo, com todo o sentimento que ainda existe e sem a possibilidade de um felizes para sempre de novo?

Como lidar com você indo pro fundo do poço ao invés de andar pra luz? Com a preocupação entalada na garganta e o conhecimento de que nada mais vai voltar a ser como antes? Com você até mesmo marcado em minha pele, suas tatuagens aqui na minha derme, teimando em me fazer lembrar de tudo o que eu tento esquecer?

O pior é exatamente isso: como se esquece alguém que significou tanto? Como se esquece tudo o que passou, todas as vezes em que eu sentia que estava no topo do mundo ao seu lado? Eu não quero viver uma vida em que eu não possa compartilhar com você minhas angústias e meus medos. Quem mais vai entender, se até agora ninguém nunca entendeu?

Esquecer você é como aceitar que alguém morreu. Não dá pra entender, não dá para lidar. E eu não sei como me sentir.