Eu não te superei

E parece que nunca vou, para falar a verdade.

Você foi uma daquelas pessoas que passam rapidamente pelas nossas vidas e vão embora mais rápido ainda. E eu nem cheguei a te amar para sofrer tanto assim.

Fico me perguntando se é alguma coisa que eu sou que fez você ir embora. Depois daquela sexta-feira você nunca mais me procurou, nunca mais curtiu alguma postagem minha, nunca mais perguntou sobre mim para alguém. Você sumiu.

Eu também sumi, mas porquê aqui dentro doía. Não é fácil ler um “eu não vou voltar atrás”. Não é fácil ouvir você pedindo pra eu ir embora ao invés de pedir pra eu ficar. Não é fácil ficar ao seu lado. Tentar te esquecer é uma das coisas mais difíceis de fazer. O ato em si já é difícil. Esquecer alguém que se parece com você em tudo? É uma crueldade. É como se você tentasse esquecer você mesmo.

Para magoar alguém e se magoar não precisa de muito tempo. No nosso caso foi necessário apenas dezesseis dias. Dezesseis dias para que o arrependimento nos matasse. Arrependimento de não ter ido mais devagar. Arrependimento, da sua parte, de ter ido tão longe com alguém que você não queria. Arrependimento, da minha parte, de ter me entregado pra alguém que não precisava do meu amor, das minhas verdades, da minha companhia.

Eu espero que você seja feliz um dia com alguém que você não sinta a necessidade de dizer tudo aquilo que disse pra mim. Que seja feliz com alguém que foi tão verdadeiro quanto eu fui com você, e que não haja nenhuma mentira para não machucar ninguém.

E dessa dor que eu sinto, eu não desejo nem pro meu maior inimigo. Muito menos pra você. Então, pegarei esse próximo ônibus para nunca mais voltar.

Assim como você pediu.